[Cevleis-L] Re: [Cevleis-L] Re: LUIZÃO

To: <cevleis-l@xxxxxxxxxx>
Subject: [Cevleis-L] Re: [Cevleis-L] Re: LUIZÃO
From: JOÃO MAFIA <maffia@xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx>
Date: Thu, 7 Mar 2002 09:47:12 -0300
Caro Serafim, concordo plenamente com você ! acredito que com o ocorrido, os
clube, com receio do uso do contrato de imagem, irão reduzir os salários dos
jogadores, uma vez que, como já bem eplanado pelo colega, eles não
aguentariam.
 MAFIA
----- Original Message -----
From: <lserafim@xxxxxxxxxxxxxxx>
To: <cevleis-l@xxxxxxxxxx>
Cc: <cevleis-l@xxxxxxxxxx>; <cevleis-l-admin@xxxxxxxxxx>
Sent: Wednesday, March 06, 2002 5:36 PM
Subject: [Cevleis-L] Re: LUIZÃO
>
> A informação que eu recebi é a de que os 3 contratos de imagem foram
> considerados salários. o Juiz estabeleceu conexão com a data de assinatura
> do contrato de trabalho e acrescentou que a imagem do jogoé inerente a
> atividade de trabalho. Segundo fui informado, ainda, o juiz concedeu a
> tutela antecipa...isso mesmo....o Luizão pode jogar onde quiser....
>
> Já no caso do Luiz Mário, a sentença não considerou o contratode imagem
> como salário. A advogada do autor não alegou a tese salarial neste caso.
>
> Estas decisões, independentemente de serem reformadas ou não, já trazem
aos
> clubes um risco contingencial potencial na utilização do contrato de
> imagem, o que vai obrigar os nossos dirigentes a reverem suas decisões
> administrativas. Se os clubes decidirem por não usar a imagem, o custo dos
> jogadores vai subir....será que eles (os clubes) aguentam ?
>
>
>
>
> "Luiz Roberto
> Martins Castro" To: <cevleis-l@xxxxxxxxxx>
> <luizcastro@uol. cc:
> com.br> Subject: [Cevleis-L] Re:
> Sent by: [Cevleis-L] LUIZÃO
> cevleis-l-admin@
> cev.ucb.br
>
>
> 06/03/02 17:25
> Please respond
> to cevleis-l
>
>
>
>
>
>
> Amigos,
>
> Acabei de saber que o Corinthians acabou de levar uma bela porrada na ação
> do Luizão!
>
> Ainda não tenho a sentença comigo, mas fui informado que a ação foi
julgada
> parcialmente procedente e o Luizão está liberado para jogar onde quiser,
> independentemente de caução. O juiz entendeu que dos 3 contratos de imagem
> que o Luizão possuía, 2 eram de trabalho, e assim condenou o Corinthians a
> pagar os salários atrasados de novembro de 2001 a janeiro de 2002, mas
> encargos.
>
> A reconvenção do Corinthians foi julgada improcedente!
>
> Assim que estiver em posse da sentença, informo-os com maiores detalhes.
>
> Detalhe, só de custas o Corinthias foi condenado a pagar R$ 100.000,00.
>
> Este é o 2o round, aguardemos o TRT.
>
> Abraços
>
> Beto
> -----Mensagem Original-----
> De: JOÃO MAFIA
> Para: cevleis-l@xxxxxxxxxx
> Enviada em: Quarta-feira, 6 de Março de 2002 14:26
> Assunto: [Cevleis-L] LUIZÃO
>
> Caros Colegas, hoje, pode não parecer para muitos, mas é um dia muito
> importante para o futebol, pois dependendo da sentença que for dada no
> caso do Luizão.
>
> ´Fazendo-se uma análise superficial: caso o magistrado entenda que o
> contrato de imagem integra a relação trabalhista isso trará grandes
> mundanças na forma do clube contratar com o atleta.
>
> Gostaria que os colegas contribuissem para o assunto com suas opiniões.
>
> MAFIA
>
>
>
> Leonardo Serafim - LES
> mailto:lserafim@xxxxxxxxxxxxxxx
> (55-21) 2277-9845
>
> DEMAREST E ALMEIDA ADVOGADOS
> Av. Rio Branco, 1 - 6º Andar - Rio de Janeiro - 20090-003 - Brasil
> Fone: (55-21) 2277-9800 Fax: (55-21) 2277-9822
> http://www.demarest.com.br
>
>
> Leonardo Serafim - LES
> mailto:lserafim@xxxxxxxxxxxxxxx
> (55-21) 2277-9845
>
> DEMAREST E ALMEIDA ADVOGADOS
> Av. Rio Branco, 1 - 6º Andar - Rio de Janeiro - 20090-003 - Brasil
> Fone: (55-21) 2277-9800 Fax: (55-21) 2277-9822
> http://www.demarest.com.br
>
>
> ___________________________________________________
> CEVLeis-L Adm: Alberto Puga <pugaa@xxxxxxxxxxxxx>
> Modo de Usar: http://cev.ucb.br/listas/dicas.htm
> Mensagens para a lista: Cevleis-L@xxxxxxxxxx
> Mensagens Anteriores: http://cev.ucb.br/pipermail/cevleis-l/
> Sair da lista: http://www.cev.org.br/listas/cevleis/

© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.