Re: Re:[cevlazer] Diferença entre lazer e recreação

Leopoldo Gil Dulcio Vaz leopoldovaz em elo.com.br
Quarta Setembro 7 08:18:06 BRT 2005


Olah Tais



segue um pequeno trecho de minha monografia de especialicao em lazer e recreacao. 



TRABALHO, TEMPO LIVRE E LAZER [1]

 

"Economizar tempo de trabalho é aumentar o tempo livre, isto é, o tempo que serve ao desenvolvimento completo do indivíduo. O tempo livre para a distração, assim como para as atividades superiores, transformará naturalmente quem dele tira proveito num indivíduo diferente..." 

K. Marx, 

Fundamentos da critica à economia política. 

 

MARX já afirmava que "graças aos lazeres e aos meios postos ao alcance de todos, a redução ao mínimo do trabalho social necessário favorecerá o desenvolvimento artístico, científico de cada um" (citado por DUMAZEDIER, 1979, p. 20). 

O conhecimento do lazer, ou o lazer tomado como objeto de estudo, deve ser enfocado tomando sua historicidade, a qual está relacionado a processos sociais mais amplos de mudanças relacionadas ao desenvolvimento das forças produtivas e às relações de produção, os quais animam a prática social (BRUHNS, 1991, 1997, 1997b)

A palavra lazer provém do verbo francês "loisir", que tem origem por sua vez, na forma infinitiva latina de "licere", que significa o permitido. O francês "loisir" dá origem à expressão inglesa "leisure", que se utiliza tecnicamente para significar tempo livre. Não se encontra em espanhol o termo lazer, mas sim, "ócio" (DUMAZEDIER, 1979; MARINHO, 1979; JIMENEZ GUSMAN, 1986; SUE, 1992).

SUE (1992) refere-se às dificuldades de se definir o lazer - lazer ou as recreações ? - sendo mais comum que se pense nestas, e não em lazer como tal. Procurando uma definição, enumera alguns princípios do conceito de lazer. Assim, as recreações são "aquelas atividades eleitas livremente, segundo os gostos e as aspirações de cada um" (p. 7). Incluindo a predominância de certas atividades.

 Essas atividades são classificadas por DUMAZEDIER (1979)  em

·        lazeres físicos - aqueles que implicam esforço e exercício de tipo corporal;

·        lazeres práticos - são os que exigem uma habilidade manual e especial;

·        lazeres intelectuais - que têm que ver com o cultivo do intelecto e da cultura;

·        lazeres artísticos - que têm a ver com a prática específica de uma arte;

·        lazeres sociais - são os relacionados com aquelas atividades de diversão, descanso e desenvolvimento, praticadas de uma forma coletiva.

 

Ao  se analisar o sentido etimológico do lazer, detecta-se três tendências: para a primeira, o que caracteriza o lazer é a idéia de permissão para atuar - o lazer seria um conjunto de atividades nas quais predomina a ausência de restrições, de censuras, de proibições, de repressão; para a segunda, derivada do sentido etimológico do lazer, seria a  ausência de impedimentos de ordem temporal - o lazer seria, antes de tudo, um tempo livre, sem restrições, sem ataduras, sem compromissos; já para a terceira tendência, seu sentido etimológico radicaria em uma qualidade de ordem subjetiva - o lazer seria constituído por uma série de atividades livremente escolhidas, atividades autônomas e agradáveis, benéficas física e psicologicamente. Para quem busca o sentido de lazer em sua evolução, esse autor as agrupa em duas fundamentadas  posições histórico-evolutivas: a noção de lazer se origina na noção grega de "scholé", tempo ocupado por atividades ideais e nobres para o ser, por atividades livres como a contemplação teórica, a especulação filosófica e o ócio; para a segunda posição, o sentido atual de lazer provém da noção romana de "otium". O lazer hoje, não seria outra coisa que a transferência corrigida no tempo do "otium" romano, isto é, um fenômeno elitista, carente já de sentido filosófico, diferenciador de classes e ostentatório (JIMENEZ GUZMAN, 1986).

O lazer não tem sido o mesmo, nem será, sempre igual, pois cada modelo de organização social lhe imprime suas funções e características, de acordo com o sistema de aspirações, necessidades e valores imperantes nesses momentos e válidas para toda a organização (JIMENEZ GUSMAN, 1986).

O lazer tomou a dimensão de hoje após a Revolução Industrial, quando então a jornada de trabalho começou a diminuir paulatinamente, muito embora "os fundamentos históricos do Lazer sejam anteriores à sociedade industrial, porque sempre existiu o trabalho e o não-trabalho em qualquer sociedade" (CAVALCANTI, 1981).

A conquista de oito horas de trabalho, oito horas de descanso e oito horas de lazer marcou o início da humanização do trabalho e transformou a recreação e o lazer como fato um social (MARINHO, 1979, 1984; CUNHA, 1987; OLIVEIRA, 1997; BRUHNS, 1997; GUEBARA, 1994, 1996, 1997, 1998). Com o reconhecimento das horas livres entre uma e outra jornada de trabalho, dos repousos semanais remunerados, das férias anuais e da cessação da vida de trabalho (aposentadoria) - (REQUIXA, 1969, 1976; BRUHNS, 1997, GEBARA, 1994, 1996, 1997, 1998) - gerou-se, então, tempo de lazer compulsório - (TOYMBEE, citado por MARINHO, 1979, 1984; BRUHNS, 1997, GEBARA 1998). 


--------------------------------------------------------------------------------

[1] Com base em capítulo da monografia de especialização em Lazer e Recreação, defendido junto à UFMA, em 1987 - CONCEPÇÃO UTILITÁRIA E SOCIAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA. 

 

 Leopoldo Gil Dulcio Vaz

from Maranhao
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://listas.cev.org.br/pipermail/cevlazer/attachments/20050907/1093d5d8/attachment.htm


Mais detalhes sobre a lista de discussão cevlazer

© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.