[Cevlazer-L] Recreacao e lazer no Brasil

To: cevlazer-l@xxxxxxxxxx
Subject: [Cevlazer-L] Recreacao e lazer no Brasil
From: Elza Margarida de Mendonça Peixoto <epeixoto@xxxxxx>
Date: Thu, 01 Mar 2001 08:49:32 -0300
Chris e demais listeiros,
Creio que as discussões que vêm sendo levantadas aqui são significativa para
o andamento da Recreação e Lazer no Brasil.
Até bem pouco tempo não consguíamos fazer uma discussão consistente das
diferenças entre recreação e Lazer. Entretanto, uma leitura minunciosa das
antigas e recentes produções na área (no Brasil) vão permitir visualizar
diferenças.
O trajeto que Chris vem propondo para esclarecimento da questão parece-me
bastante lúcido:
1) Enteder o processo histórico que promove a diferença entre a Recreação e
Lazer no Brasil;
2) Produção de um conceito provisório a partir da prática social da
Recreação e Lazer;
Parece-me que a partir de suas conclusões podemos estar pensando:
1) A história da formação profissional em Recreação e Lazer no Brasil;
2) As múltiplas formas e nomes da formação profissional em Recreação e Lazer
em nosso país;
Partindo-se em seguida para uma proposta de reorganização deste processo.
Creio que estamos avançando.
Elza Peixoto
Chris Werneck gravada:
> Caros listeiros:
>
> Nossos amigos latino-americanos troxeram alguns elementos para que
> pudessemos compreender o sentido de recreacao na Argentina e no Uruguay,
> pois, como diz "lancelot", o seu significado precisa ser
> contextualizado.
> Foi possivel perceber tambem que sao grandes as diferencas que marcam a
> sua costrucao social nesses tres paises. Por essa razao, peco aos
> colegas latino-americanos que se lembrem de que os meus questionamentos
> aa recreacao sao feitas com base na nocao que predomina no contexto
> brasileiro, onde a visao dicotomica da realidade ainda prevalece.
>
> Por outro lado, no Brasil, o lazer vem alcancando um significado cada
> vez mais abrangente; sendo tomado como objeto de varios estudos na
> graduacao e na pos-graduacao; embasando a formacao e a acao de muitos
> profissionais em diferentes areas do conhecimento, e nao apenas na EF.
> Mas, como diz o Jorge Adilson, essas questoes ainda podem (e devem) ser
> ampliadas, tendo em vista a construcao de uma sociedade mais justa e a
> busca da unidade entre a teoria e a pratica. Para que esta ampliacao
> seja possivel, precisamos promover reflexoes/acoes coerentes,
> consistentes e fundamentadas, que partem de problemas concretos.
>
> Por exemplo, se tomarmos a questao pelo eixo da graduacao em Educacao
> Fisica (uma das areas que, tradicionalmente, vem formando profissionais
> para atuarem no ambito da recreacao e do lazer no Brasil), nos deparamos
> com dificuldades que precisam ser superadas. A producao de conhecimento
> sobre o lazer vem se avolumando (visando compreender a construcao social
> deste objeto em nossa sociedade, suas implicacoes historicas, culturais,
> sociais, politicas; promovendo questionamentos sobre a visao alienante
> que predomina em nosso meio, etc), e esse saber vem sendo colocado como
> o arcabouco teorico que fundamenta as disciplinas de recreacao, ou
> mesmo as de "recreacao e lazer". Encaro esta medida como um problema,
> pois recreacao e lazer, da maneira como foram e vem sendo construidas no
> Brasil, nao possuem as mesmas raizes social, historica, politica,
> pedagogica e cultural, tendo portanto desdobramentos diferenciados,
> porem sendo associadas justamente pela falta de clareza com relacao aa
> questao. Assim, como resolver este problema nos cursos de formacao e na
> pratica profissional? Que conhecimento irah fundamentar a recreacao, de
> maneira que ela possa ser vislumbrada como ressalta, por ex., o Jorge
> Adilson? Como resolveriamos a questao do campo de intervencao
> profissional, pois, ao atuarmos em hoteis, clubes, empresas e outros
> espacos ditos "de lazer", nao continuariamos a ver vistos como
> "recreadores", o que provocaria, novamente, uma diluicao dos contornos
> tanto da recreacao, como do lazer?
> Essas e varias outras questoes sao tao polemicas e dificeis de serem
> solucionadas que a maioria dos profisisonais e pesquisadores da area
> acabaram evitando dicutir e aprofundar o assunto no Brasil, mas creio
> que chegamos a um ponto onde teremos realmente que enfrenta-las e fazer
> opcoes, mesmo que nao sejam consensuais.
> Para tanto, creio ser fundamental retomar, em primeiro lugar, as suas
> raizes primeiras neste contexto. Dessa maneira, a recreacao poderia ser
> entendida como uma acao pedagogica voltada para criancas e jovens, que
> utiliza como recurso educativo os jogos, as brincadeiras, os brinquedos
> e outras praticas ludicas; podendo ser desenvolvida em diferentes
> ambitos (escolas, clubes, acampamentos, hoteis, orgaos publicos,
> empresas privadas, etc), desde que seja planificada de modo a
> concretizar os objetivos educacionais previamente estabelecidos pelos
> sujeitos integrantes do processo. Para isso, eh necessario buscar a
> fundamentacao teorica consistente e atualizada que falta a ela, de modo
> que o saber tecnico continue sendo destacado como importante, mas nao
> como O MAIS importante, sendo apenas um dos elementos necessarios a essa
> acao. Com isso, a recreacao seria finalmente assumida como uma acao
> pedagogica, e nao como "atividade", ou mesmo como sinonimo de
> "re-criacao", uma das possibilidades que pode ocorrer em toda e qualquer
> acao humana, e nao apenas na recreacao. O "re-criar" pode ser um dos
> pressupostos basicos da recreacao, mas nao o seu conceito, a sua
> concepcao. Dessa maneira, a recreacao seria, efetivamente, uma acao
> teorico-pratica com a responsabilidade de mudar a visao alienante que
> predomina em nosso meio por meio de acoes sistematizadas, consistentes e
> coerentes.
>
> O lazer, em contrapartida, poderia ser retomado e compreendido enquanto
> um direito social, fruto das reivindicacoes dos trabalhadores
> assalariados, desde os seculos XVIII-XIX. Desde 1988, o lazer estah
> presente e assim reconhecido na Constituicao Brasileira, mas nao sabemos
> direito o que isso significa, e quais seriam os seus desdobramentos.
> Compreender o lazer como um direito social nos remete, inevitavelmente,
> aas leis trabalhistas que geraram um aumento no tempo livre dos
> trabalhadores, isto eh, a limitacao da jornada de trabalho, as ferias e
> os fins de semana remunerados. Quando a Declaracao dos Direitos Humanos
> de 1948 (que influenciou as modificacoes na constituicao de varios
> paises, inclusive a brasileira) coloca, em seu artigo 24, "toda pessoa
> tem direito ao repouso e ao lazer", respalda-se justamente nas leis
> intervencionistas do trabalho. O lazer esta, assim, intimamente
> relacionado ao aspecto tempo, mas a propria concepcao de tempo precisa
> ser revista, afinal, cada vez mais aspectos vem provocando mudancas em
> nossa dinamica social. As vezes, dispomos de tempo livre, mas nao
> conseguimos imprimir a ele o significado que hoje nos remete ao lazer. O
> seja; o tempo do lazer eh um tempo resignificado pelos sujeitos, o que
> implica a possibilidade de produzir, e nao apenas consumir cultura, por
> meio da vivencia ludica de diferentes conteudos: seja a musica, a danca,
> a festa, o esporte, o teatro, o bate-papo, etc. Por essas razoes, creio
> que o lazer nao poderia ser visto como "trabalho", pois, assim como
> este, eh um direito social com caracteristicas proprias. Diferentemente
> do lazer, o ludico, por ser um elemento da cultura, pode estar presente
> em todos os momentos da vida, inclusive no trabalho.
>
> No Brasil, ao contrario da recreacao, sao muitos os estudos produzidos
> na atualidade sobre a problematica do lazer e, como o que eu ja afirmei
> em outros momentos, faltava compreender de maneira mais aprofundada
> tanto a recreacao, como o lazer, para ver como essa historia seria
> encaminhada. Eu so consegui trilhar este caminho quando consegui
> entender os significados da recreacao e do lazer na realidade
> brasileira, as congruencias e as divergencias presentes neste percurso.
> Foi por isso que, em minha ultima publicacao, afirmei que o campo do
> lazer so avancaria quando fosse houvesse um rompimento com a recreacao.
> Mas hoje posso afirmar tb que a recreacao tb so vai avancar, no Brasil,
> quando for desatrelada do lazer, buscando reconstruir os fundamentos que
> ficaram parados nos anos de 1960. Se, clareando essas questoes,
> permanecer a associacao "recreacao e lazer", sera por opcao, e nao por
> falta de conhecimento, como acontece hoje.
>
> Bom, vou ficando por aqui. Agradeco muitissimo a todos os colegas que
> vem me ajudando a construir essas ideias, e gostaria muito de saber o
> que os colegas da lista pensam a respeito, pois nao sei se isto faz
> realmente sentido. Por favor, contestem, concordem, tragam novos
> elementos para a discussao. Vamos construi juntos novas possibilidades e
> compreender a fundo a recreacao e o lazer no Brasil, para sair da
> reproducao de ideias em que nos encontramos ha muitos anos em nosso
> pais.
>
> Um grande abraco a todos, Chris
>
> _____________________________________________________
> Cevlazer-L Adm: silvia@xxxxxxxxxxxxxx
> Modo de Usar: http://cev.ucb.br/listas/dicas.htm
> Mensagens para a lista: Cevlazer-L@xxxxxxxxxx
> Mensagens Anteriores: http://cev.ucb.br/pipermail/cevlazer-l/
> Sair da lista: http://www.cev.org.br/listas/cevlazer/

Attachment: epeixoto.vcf
Description: Cartão para Elza Margarida de Mendonça Peixoto

<Anterior em Tópico] Tópico Atual [Próximo em Tópico>

© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.