[Cevhipismo] Ferradura: alternativas

beatriz em cev.org.br beatriz em cev.org.br
Quarta Fevereiro 23 11:53:35 BRT 2005


FERRADURAS DE ALUMÍNIO
'Estão muito próximas das ferraduras de ferro e apresentam os
inconvenientes de concussão e dos cravos. A vantagem é o seu menor peso,
em média 50% menor. As ligas de alumínio e a tecnologia trouxeram avanços
consideráveis para as ferraduras de alumínio, procurando diminuir preço e
aumentar a vida útil, equivalente a 50% das ferraduras de ferro. Os
modelos Tradicionais em barras trefiladas evoluíram para ligas temperadas
e modelos fundidos sobre pressão, com adição de cobre e sílicio que
trouxeram maior duotilidade e durabilidade. Alguns modelos fundidos
incorporam facilidade de agarradeiras para os cavalos de corrida em cancha
reta; e a quantidade de cavalos que usam as ferraduras de alumínio nos
hipódromos é muito grande.'


AS FERRADURAS DE PLÁSTICO METAL
'As ferraduras de plástico puro não mostraram utilidade e funcionalidade
para as atividades atléticas do cavalo, elas são usadas como função
terapêuticas e corretivas, moldadas especificamente para cada casco,
principalmente em potros e animais jovens. Os modelos mais modernos usam
poliuretano recobrindo alumínio ou aço e são conhecidas como ferraduras
mistas de plástico-metal. As vantagens apregoadas são: menor peso, maior
conforto para tendões e ligamentos, maior absorção de impacto(concussão) e
facilidade de serem coladas ou cravadas ao casco. No caso exclusivo da
fixação por cola, elas eliminam o stress dos cravos e podem ser eficientes
para a recuperação da muralha e para o descanso do cavalo. Existem modelos
denominados GLU que são para fixação por cola, os modelos NAIL que são de
uso com cravos e outros mais modernos que incorporam a fixação cola-cravo
e são conhecidas como GLUNAIL'

AS BOTAS DE BORRACHA

'Elas surgiram há algumas décadas como solução alternativa aos tratamentos
e afecções dos locomotores, sobretudo nos casos de navicular laminite,
além de serem eficientes para o passeio dos cavalos nos hipódromos e
hípicas e nos transportes em geral. São de fácil colocação por correias ou
presilhas e devem ser retiradas periódicamente para limpeza. Permitem o
movimento de abre-fecha do casco e são, ainda, eficientes para o descanso
de animais atletas, permitindo crescimento e recuperação de cascos e
ranilhas. Entretanto, não podem ser usadas como substitutas de ferraduras
nas diversas competições.'

As ferraduras GLU começaram a ter aceitação nos cavalos de corrida, que
são os atletas mais afetados pelos problemas do ferrageamento convencional
com cravo, ferro e alumínio. O problema da formação dos páreos nos
hipódromos necessita de recursos de sustenção que mantenham a performance
e a vida útil dos atletas.
As afecções do aparelho locomotor retiram os atletas de pista e tornam
mais onerosa a manutenção dos mesmos. As GLUNAIL melhoram a vida útil do
atleta pelo amortecimento e expansão dos talões, entre outros. Os animais
de hipismo, policiamento, tração e de outras modalidades como o hipismo
rural encontraram limitações na fixação somente por cola. Em seguida os
modelos GLUNAIL, com cola-cravo, vieram para ganhar o mercado com
utilização em corrida, hipismo clássico, hipismo rural, policiamento,
tração, ou em quaisquer outras aplicações.A modalidade do enduro equestre
encontrou na GLUNAIL um aliado interessante e temos visto a sua utilização
sempre maior neste novo segmento do uso do cavalo, que reúne ecologia e
aventura. Esses modelos cola-cravo apresentam a facilidade de agarradeiras
atarrachadas nos talões para as competições de hipismo, enduro e polo,
entre outras. As ferraduras GLUNAIL conseguem absorver 30% do impacto do
locomotor com a pista e podem ser colocadas pelo próprio usuário, sem
maiores problemas.

OS AGENTES COLANTES

As colas utilizadas são do tipo ciano-acrilato (superbonder) e a sua
utilização garante colagem rápida, em 10 segundos, boa durabilidade e
descolagem para a retirada da ferradura sem maiores problemas. A fixação
na muralha lateral do casco requer a raspagem do verniz da parede, seguida
da aplicação de álcool ou acetona como desengordurantes, antes da
aplicação da cola. O efeito da cola sobre a parede do casco, embora
constitua um elemento químico, não tem apresentado contra indicações e
somente o uso mais pronunciado poderá mostrar outros rumos. As modalidades
atléticas que necessitam maior confiabilidade de fixação podem utilizar os
cravos necessários nos tipos GLUNAIL que tem furos além das linguetas para
colagem. A durabilidade média é superior a das ferraduras de aço.
A.P.TOLEDO Veterinary Assistant, Farrier, Diretor do Contran Toledo,
criador de cavalos e autor de vários livros e artigos sobre sustenção e
locomoção dos equinos. Idealizador e professor do Curso Master de
Ferrageamento desde 1994.

Artigo do Jornal "A Galope"

 fonte: mestreferrador






Mais detalhes sobre a lista de discussão Cevhipismo

© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.