[Cevdopagem] Polêmica sobre doping estraga comemorações esportivas nos EUA

Darwin Ianuskiewtz darwin.cev em gmail.com
Segunda Janeiro 2 23:39:16 BRST 2006


A efervescente polêmica sobre doping no esporte cresceu de forma
impressionante na América do Norte em 2005, lançando uma sombra de
desconfiança sobre eventos importantes.

Com a prisão de Victor Conte, músico transformado em farmacêutico que
admitiu ter fornecido drogas para melhorar o desempenho a dezenas de
esportistas de ponta, os torcedores estão de olho em qualquer
esportista com muitos músculos ou feitos extraordinários.

No final do ano, o recordista mundial dos 100m rasos Tim Montgomery
foi retirado dos livros e se juntou a um punhado de ex-heróis
olímpicos marcados pelo escândalo.

Até mesmo as grandes ligas de beisebol, de longe o mais complacente
dos principais esportes norte-americanos no policiamento contra drogas
ilegais, reagiram ao debate com uma nova política mais rígida.

"Esse não é somente um dia histórico para o beisebol, mas também
significativo", disse o comissário Bud Selig ao anunciar o plano,
sabendo que se o beisebol não criar sua própria política, o congresso
americano estaria preparado para fazê-lo. O acordo da política
antidrogas de Selig com o sindicato do jogadores talvez tenha sido
apressado pelo teste positivo de Rafael Palmeiro, batedor do Baltimore
Orioles, um de quatro jogadores que conseguiram 3.000 rebatidas e 500
home runs. Poucos meses antes, Palmeiro havia declarado ao congresso
que nunca usou esteróides.

Apesar da nova política, Barry Bonds, do San Francisco Giants, começa
2006 próximo da marca histórica de home run de Hank Aaronmark sob uma
nuvem de suspeita por sua associação com Conte e a mudança radical em
sua forma física ao longo dos anos.

Bonds só jogou algumas partidas em 2005 por causa de uma lesão no
joelho, mas está a somente 48 home runs de distância de um dos mais
reverenciados recordes do esporte norte-americano.

Apesar dos rumores persistentes de doping, que ele nega
constantemente, o texano Lance Armstrong venceu sua sétima Volta da
França e depois se aposentou do ciclismo para passar mais tempo com
seus filhos e sua noiva, a cantora Sheryl Crow.

NHL RECOMEÇA

Nos principais esportes norte-americanos, 2005 viu rostos familiares
erguerem troféus e alguns rostos novos alcançarem o topo do pódio. No
caso do hóquei, ver qualquer rosto foi um alívio.

A Liga Nacional de Hóquei retomou as atividades depois de um intervalo
de um ano, o primeiro entre os principais esportes norte-americanos a
perder uma temporada inteira por causa de problemas laborais.

Armada com um novo acordo coletivo para barganhar, a liga surgiu com
novas regras para abrir o jogo, e os torcedores reagiram voltando em
números maiores do que antes da interrupção.

"Não somente ficou provado que aqueles que achavam que iríamos sair
prejudicados estavam enganados, mas ainda voltamos mais fortes, o que
é uma homenagem para o esporte e para os torcedores", disse o
comissário Gary Bettman à Reuters em uma entrevista. O New England
Patriots venceu o Super Bowl pela terceira vez consecutiva em quatro
anos, batendo o Philadelphia Eagles por 24 a 21 e se tornando uma
verdadeira dinastia.

Mas a tragédia surgiu pouco depois da vitória, quando Tedy Bruschi, o
líder da equipe, sofreu um leve derrame. Ele havia retornado
recentemente mas os Patriots, apesar de liderarem a medíocre divisão
AFC, parecem vulneráveis e sofrerão pressão para ser campeões
novamente.

VITÓRIA DO WHITESOX

A temporada da sequência do título dos Boston Red Sox em 2004 viu o
Chicago White Sox conquistar seu primeiro troféu no campeonato de
beisebol dos EUA em 88 anos.

Os executivos da televisão teriam adorado se o Chicago Cubs tivesse
conquistado o título, por causa de sua grande torcida, mas foram seus
rivais do sul que levaram o troféu. Os White Sox bateram o Houston
Astros em quatro partidas, dando início a uma amarga discussão na
cidade de duas equipes.

"Não somo mais a segunda equipe de Chicago", disse o batedor dos White
Sox Carl Everett.

O San Antonio Spurs venceu o campeonato da NBA, o segundo título em
três anos para o astro Tim Duncan e companhia.

Vários futuros treinadores do Hall da Fama decidiram trocar de equipe
ou buscar novos talentos. Larry Brown trocou Detroit por Nova York,
Phil Jackson voltou ao Los Angeles Lakers depois de um ano e Pat Riley
tomou o lugar de Stan Van Gundy em Miami.

Tiger Woods recuperou seu swing e ressurgiu como o golfista número um
do mundo depois de vencer o Masters, o British Open e um punhado de
outros torneios.

A seleção norte-americana de futebol chegou à Copa do Mundo da
Alemanha no ano que vem mas está em um grupo difícil, com Itália,
República Tcheca e Gana.

O alpinista Bode Miller se preparou para os Jogos de Inverno na Itália
conquistando o título mundial, enquanto a patinadora Michelle Kwan, em
busca de seu primeiro ouro olímpico, venceu seu quinto campeonato
nacional. Dan Wheldon venceu a Indianápolis 500 mas a chegada da
pequena Danica Patrick em quarto lugar o fez se sentir a dama de honra
no casamento do ano.

"Nossa, que dia para mim," disse Patrick, que tem 1,58-metros e 45 kg,
para as câmeras de televisão.



Mais detalhes sobre a lista de discussão cevdopagem

© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.