[cevbibli] Estudar as listas de discussao do CEV. Quem quer? Bibliografia.

Laercio Elias Pereira laerciocev em gmail.com
Segunda Outubro 17 07:32:44 BRST 2005


Pessoal,
    Como sabemos todos, cada mensagem das 150 listas de
discussao do CEV vira uma pagina, um documento HTML.
Temos dezenas de milhares de msgs indexadas, e distribuimos
milhoes (os programas estao fazendo as contas depois das
migracoes das listas por 4 servidores diferentes).
    A despeito das mensagens inadequadas - spam, msgs pessoais,
msgs sem informacao... - tem muita coisa boa. Nesses nove
anos algumas listas deram um verdadeiro testemunho da
historia das diversas comunidades virtuais a que servem.
   Temos conversado por fora das listas sobre a importancia
de estudar essas msgs. Pode ser um periodo, um assunto
que enroscou, um juri virtual da cevleis...
   Vamos formar um grupo de estudo virtual sobre isso.
Por favor, os(as) interessados(as) devem escrever direto
para laercio em cev.org.br, com o assunto: ESTUDAR LISTAS.
Segue uma bibliografia pescada da dissertaçãoda Profa
Cynthia CORREA, defendida em janeiro de 2005, e que virou
um artigo (PRESTECAO NO EXEMPLO!) na revista e-compos
de agosto (esta' citado com apontador para o texto integral).
                                                          Laercio
......
Bibliografia para estudar listas de discussao.

CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: economia, sociedade e cultura.
São Paulo: Paz e Terra, 1999. 617 p. (A Sociedade em Rede, v. 1).
______. Internet e sociedade em rede. In: MORAES, Dênis de (Org.). Por
uma outra Globalização: mídia, mundialização cultural e poder. Rio de
Janeiro: Record, 2003. p. 255-287.
CORRÊA, Cynthia Harumy Watanabe A interação social na lista de
discussão ABRH-Gestão e o estabelecimento de uma comunidade virtual
imaginada.e-compos. Revista da Associação Nacional dos Programas de
Pós-Graduação em Comunicação. n. 3 Ago. 2005
http://www.assimcomunicacao.com.br/revista/documentos/agosto2005_cynthiacorrea.pdf
COSTA, Sely M. S.. Mudanças no Processo de Comunicação Científica: o
impacto do uso das novas tecnologias. In: MUELLER, Suzana Pinheiro
Machado (Org.).; PASSOS, Edilenice Jovelina Lima (Org.). Comunicação
Científica. Brasília: Departamento de Ciência da Informação Universidade
de Brasília, 2000. p. 85-105.
FUKS, H.; GEROSA, M.A.; PIMENTEL, M. G.. Projeto de Comunicação em
Groupware: desenvolvimento, interface e utilização. In: CONGRESSO DA
SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO, 23., 2003, Campinas.
Anais... Campinas: UNICAMP, 2003. Disponível em:
<http://groupware.les.inf.pucrio.
br/groupware/publicacoes/HTML/JAI2003_cap7.htm>. Acesso em: 30
abr. 2004.
JONES, Quentin. Virtual-Communities, Virtual Settlements & Cyber-
Archaeology: a theoretical outline. [1997]. Disponível em:
<http://www.ascusc.org/jcmc/vol3/issue3/jones.html>. Acesso em: 10 ago.
2004.
www.compos.com.br/e-compos Agosto de 2005 - 28/29
Revista da Associação Nacional dos
Programas de Pós-Graduação em Comunicação
KOZINETS, Robert V.. On Netnography: initial reflections on consumer
research investigations of cyberculture. [1998]. Disponível em:
<http://www.kellogg.nwu.edu/faculty/Kozinets/htm/Research/printouts/koz
inetsOnNetnography.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2003.
LEMOS, André. Agregações Eletrônicas ou Comunidades Virtuais?
Análise das listas Facom e Cibercultura. [2002a]. Disponível em:
<http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/agregacao.htm>. Acesso em: 8
fev. 2004.
_____. Cibercultura, Tecnologia e Vida Social na Cultura
Contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002b. 320 p.
MEADOWS, Arthur Jack. A Comunicação Científica. Brasília: Briquet de
Lemos, 1999. 268 p.
______. Avaliando o Desenvolvimento da Comunicação Eletrônica. In:
MUELLER, Suzana Pinheiro Machado (Org.).; PASSOS, Edilenice Jovelina
Lima (Org.). Comunicação Científica. Brasília: Departamento de Ciência
da Informação Universidade de Brasília, 2000. p. 23-34.
MORIN, Edgar. O Método 3: o conhecimento do conhecimento. Porto
Alegre: Sulina, 1999. 288 p.
PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro. Comunidades Científicas e Infra-estrutura
Tecnológica no Brasil para Uso de Recursos Eletrônicos de Comunicação e
Informação na Pesquisa. Ciência da Informação, Brasília, v.32, n.3, p.62-
73, set./dez. 2003. Disponível em:
<http://www.ibict.br/cienciadainformacao/include/getdoc.php?id=168&artic
le=46&mode=pdf>. Acesso em: 10 abr. 2004.
PRIMO, Alex Fernando Teixeira. Interação Mútua e Interação Reativa: uma
proposta de estudo. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE
ESTUDOS INTERDISCIPLINARES EM COMUNICAÇÃO, 21., 1998, Recife.
Anais... Recife: UFPE, 1998. Disponível em:
www.compos.com.br/e-compos Agosto de 2005 - 29/29
Revista da Associação Nacional dos
Programas de Pós-Graduação em Comunicação
<http://usr.psico.ufrgs.br/~aprimo/pb/espiralpb.htm>. Acesso em: 10 jul.
2003.
RHEINGOLD, Howard. The Virtual Community. [1998]. Disponível em:
<http://www.rheingold.com/vc/book/>. Acesso em: 05 jul. 2003.
RUSSELL, Jane M.. Tecnologias Eletrônicas de Comunicação: bônus ou ônus
para os cientistas dos países em desenvolvimento?. In: MUELLER, Suzana
Pinheiro Machado (Org.).; PASSOS, Edilenice Jovelina Lima (Org.).
Comunicação Científica. Brasília: Departamento de Ciência da
Informação Universidade de Brasília, 2000. p. 35-49.
SÁ, Simone Pereira de. Netnografias em Redes Digitais. In: PRADO, José
Luiz Aidar (Org.). Crítica das Práticas Midiáticas: da sociedade de massa
às ciberculturas. São Paulo: Hacker, 2002. p. 147-164.
SILVA, Juremir Machado da. As Tecnologias do Imaginário. Porto
Alegre: Sulina, 2003. 111 p.
SOUZA, Maria da Paixão Neres de. Efeito das tecnologias da informação na
comunicação de pesquisadores da Embrapa. Ciência da Informação,
Brasília, v.32, n.1, p.135-143, jan./abr. 2003. Disponível em:
<http://www.ibict.br/cienciadainformacao/include/getdoc.php?id=454&artic
le=171&mode=pdf>. Acesso em: 10 abr. 2004.
WOLTON, Dominique. Internet, e depois? Uma teoria crítica das novas
mídias. Porto Alegre: Sulina, 2003. 232 p.



--
Laercio Elias Pereira
http://www.cev.org.br/grcev/laercio



Mais detalhes sobre a lista de discussão cevbibli

© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.