[cevbasq] Fw: CBB - Coordenação de Arbitragem - Pontos deÊnfases CBB - 01/2005

Alcir Magalhães alcirmf em terra.com.br
Segunda Março 21 19:36:48 BRT 2005


CLIPPING DO BASQUETE

CONHECER

Atenciosamente,
Alcir Magalhães Filho.
----- Original Message ----- 
From: <cbb12 em uninet.com.br>
To: <arbitro em cbb.com.br>
Sent: Monday, March 21, 2005 6:07 PM
Subject: CBB - Coordenação de Arbitragem - Pontos deÊnfases CBB - 01/2005


Confederação Brasileira de Basketball

Coordenação de Arbitragem

Pontos de Ênfases CBB - 01/2005

1    Introdução

A ênfase na eliminação do jogo violento e do contato
ilegal e a redução da indisciplina continuam a ser a
meta para um jogo limpo.

O contato físico ganhou maior destaque com o princípio
de vantagem/desvantagem. A análise e o julgamento dos
árbitros devem ser na jogada como um todo.

O contato físico é inevitável em um jogo dinâmico
como o basquetebol. O princípio de vantagem/desvantagem
transfere ao árbitro a responsabilidade de julgar quando
este contato caracteriza uma falta pessoal. O árbitro deve
avaliar se o contato físico causou prejuízo para o
jogador que sofreu o contato. Se isto ocorreu, uma falta
pessoal deve ser marcada. O objetivo é permitir que o
fluxo do jogo mantenha um dinamismo. A idéia é de que a
música não deve parar.

Uma advertência: a idéia de vantagem que existe no
futebol não deve ser transferida para o basquetebol.

Analisar a jogada deve ser o foco de atenção do
árbitro. Ele não deve se ater apenas ao contato. Para
que o jogo tenha êxito é necessário um bom
entendimento por parte de todos os envolvidos na partida. O
princípio de vantagem/desvantagem deve ser aplicado de
forma eficiente para deixar o jogo dinâmico. É preciso
deixar de sancionar os contatos que não interferem no
andamento da partida.

A ênfase do jogo deve ser dada na habilidade do jogador. O
jogo violento deve ser eliminado. A disputa leal e limpa por
um bom posicionamento deve ser valorizada.

O artigo 47.3 das Regras da FIBA é fundamental para um
árbitro tomar uma decisão consistente. Vejamos:

47.3    Quando decidindo sobre um contato pessoal ou
violação, os árbitros deverão, a cada instante ter
consciência e pesar os seguintes princípios
fundamentais:

.    O espírito e a intenção das regras e a
necessidade
de assegurar a integridade da partida.
.    Consistência na aplicação do princípio de
vantagem/desvantagem, onde os árbitros não devem
interromper desnecessariamente a partida para penalizar um
contato pessoal que foi acidental ou que não coloque o
jogador responsável em vantagem e nem coloque o seu
adversário em desvantagem.
.    Consistência na aplicação do bom senso para
cada
partida, tendo em mente as habilidades dos jogadores
envolvidos e sua atitude e conduta durante a partida.
.    Consistência na manutenção de um equilíbrio
entre controle do jogo e fluxo do jogo, tendo o
"feeling" para o que os participantes estão tentando
fazer e marcando o que é certo para o jogo.


Somente o esforço combinado dos árbitros, dos técnicos
e dos jogadores poderá favorecer o entendimento dos
participantes e do público. A uniformidade da Arbitragem
é a meta a ser alcançada. O primeiro passo a ser dado
é o entendimento das regras e do espírito de cada regra.
Entender os conceitos e os princípios inscritos no Livro
de Regras é fundamental para promover um jogo limpo e
justo.

Um ponto que merece destaque é o comportamento
indisciplinar do Banco de Reservas.

Os árbitros deverão concentrar suas atenções no jogo
dentro da quadra. Porém, o comportamento indisciplinar dos
componentes do banco de reservas não deve ser ignorado.

Os árbitros deverão utilizar suas habilidades de
comunicação para reduzir os momentos de indisciplina
durante a partida. Quando for necessário, o árbitro
poderá aplicar uma falta técnica ou uma falta
desqualificante. A indisciplina prejudica o andamento da
partida.

O responsável pelo banco de reservas é o técnico da
equipe. O assistente técnico da equipe poderá ocupar as
funções do técnico em determinados momentos. Os
acompanhantes de equipe possuem funções bem definidas
(por exemplo: administrador, estatístico, médico,
fisioterapeuta, interprete).

Os acompanhantes de equipe devem ser profissionais voltados
na estrutura da equipe. Devem manter um comportamento
profissional coerente com a função que ocupam. O
comportamento indisciplinar dos acompanhantes de equipe deve
ser coibido.

2    Jogadores que se movimentam sem a bola

Os árbitros deverão ficar atentos às situações de
body checking e holding and checking provocadas pelos
defensores quando estão realizando uma marcação nos
atacantes que não estão com a bola. Uma falta deverá
ser marcada quando tais situações ocorrerem.

3    Hand-checking

O objetivo é valorizar uma posição legal de defesa
baseada no correto posicionamento das pernas e corpo. Além
disso, desestimular o uso da mão para manter contato com o
corpo do atacante.

Adotamos as orientações da British Columbia Basketball
Officials Association (BCBOA) referente ao hand-checking.
Vejamos:

Hand-checking - (uso ilegal das mãos*) - é uma
estratégia defensiva ilegal que procura reduzir a
velocidade ou guiar o adversário, que está driblando, em
uma direção específica.

O hand-check ocorre quando o defensor coloca uma mão ou o
seu antebraço no tronco do atacante. O contato produzido
não é igual a um empurrão; porém, o seu efeito no
jogo é relevante. Esse contato produz um prejuízo no
movimento do jogador com a bola que vai muito mais além do
que forçar o atacante a retroceder para proteger a bola.

Se o defensor usar a mão ou o braço para prejudicar a
ação de movimento do atacante, principalmente quando
este tenta mudar de direção, uma falta deverá ser
marcada.

No entanto, nenhuma infração deve ser marcada se o
defensor está apenas tocando no corpo do atacante para
sentir para onde o atacante está se deslocando. Este
contato deverá ser breve, isto é, o defensor não
deverá ficar tocando com a mão - ou com o antebraço
- o corpo do adversário. Lembre-se, o objetivo é
sentir o movimento que o atacante está fazendo, mas sem
produzir prejuízo neste movimento.

Nas jogadas de poste, o árbitro deve analisar muito bem o
impacto que o contato produz no jogador com a bola. Observe
o movimento do atacante após receber o contato. Se ocorrer
um prejuízo no seu movimento, uma falta deverá ser
marcada.

E mais, se o defensor fechar o cotovelo, fazendo uso do
antebraço, uma falta poderá ser marcada automaticamente.
No entanto, nesta hipótese, tenha cuidado de não impedir
a ação de movimento do adversário que tem chance de
anotar uma cesta.

O uso da arbitragem preventiva é muito importante quando
analisamos o hand-cheking. Sempre que possível, o
árbitro deverá utilizar a sua voz para chamar a
atenção do defensor antes de marcar uma infração.
Não se deve permitir que o defensor faça este contato
constantemente com o atacante.

Geralmente, nos jogos de maior nível técnico, contatos
mais fortes são permitidos.

A perda do equilíbrio é um fator muito importante que o
árbitro deve considerar. Faça a seguinte pergunta: o
atacante, após sofrer o contato, foi colocado em
desvantagem?

Frise-se: se o atacante tem seus movimentos prejudicados por
uma ação ilegal do defensor, uma falta deverá ser
marcada.

É importante ter em mente e não penalizar uma ação
legal de defesa:

1.    Posição legal de defesa - jogador dentro de seu
cilindro,
2.    Subterfúgio do atacante para induzir ao árbitro a
marcar falta do defensor, exemplo clássico: "limpar" o
arremesso.

O posicionamento do árbitro é importante para determinar
um bom campo de visão. Muitas vezes, o árbitro tem a
visão da jogada prejudicada por um jogador. O
atacante/defensor poderá estar entre o árbitro e o
defensor/atacante. Neste caso, o árbitro deverá mover-se
alguns passos em uma direção que permita ter uma visão
bem clara desses dois jogadores.

(Tradução livre das orientações da British Columbia
Basketball Officials Association (BCBOA) a respeito do
Hand-checking).

4    Corta-luz ilegal

Nas situações de corta-luz ilegal, atenção ao
movimento rápido do atacante que está fazendo o
corta-luz. Geralmente, este atacante faz o seu movimento na
frente do defensor sem respeitar tempo e distância. Uma
falta deverá ser marcada contra o atacante quando o
contato prejudicar a ação de movimento do defensor.

Manter atenção aos movimentos do jogador que está
fazendo o corta-luz. Observe como estão posicionados os
seus braços, e principalmente, os seus cotovelos.

Observar, durante a realização de um corta-luz, quando o
uso do cotovelo passa a ser uma agressão. Identificar as
hipóteses de falta antidesportiva e desqualificante nestas
jogadas. É preciso coibir a violência e dar segurança
aos jogadores. É preciso também, ficar atento ao uso do
quadril por parte do atacante que está fazendo o
corta-luz. Às vezes, este jogador utiliza o quadril, sem
respeitar tempo e distância, para prejudicar o movimento
do defensor, e com isso, favorecer um arremesso ou uma
penetração do seu companheiro.

5    Administrar as situações de simulação de falta


Qualquer membro de uma equipe que realize uma ação de
simulação, visando a ter uma vantagem não merecida e
que coloque em risco a administração da partida,
deverá ser advertido e, na reincidência, ser penalizado
com uma falta técnica.

Esta advertência deve ser geral, servindo para todos os
participantes da partida e não apenas para o membro da
equipe que realizou tal ação. Feita a advertência, a
próxima ação simulada - no julgamento dos árbitros -
deverá ser penalizada com uma falta técnica.

São exemplos de simulações que devem ser observadas:

a)    Atacante no ato de arremesso: movimento para frente;
abertura de pernas ou de braços;
b)    Defensor: falta do atacante de carregar.

6    A falta técnica é um instrumento para coibir atos
de
indisciplina

Na arbitragem moderna, os árbitros deverão resolver
conflitos, resolver problemas. Para isso, devem utilizar as
suas habilidades pessoais na solução de tais conflitos.
Nem sempre a falta técnica é a solução.

Portanto, os árbitros devem ter a devida concentração
para buscar a melhor maneira de resolver os problemas e os
conflitos durante a partida.

Por outro lado, é importante manter o controle do jogo. Os
árbitros devem punir com rigor os atos de indisciplina
dirigidos contra a equipe de arbitragem. Para isso existe a
falta técnica e a falta desqualificante.

A falta técnica, marcada pelo ato de indisciplina dirigido
contra a equipe de arbitragem, funciona, neste caso, como
uma advertência. Se o membro de equipe voltar a cometer
atos indisciplinares contra a equipe de arbitragem, ele
deverá ser desqualificado da partida.

Frise-se: quem deve marcar uma falta técnica - ou uma
falta desqualificante - é o árbitro (Árbitro ou
Fiscal). Não é o técnico; não é o jogador; não
é o acompanhante de equipe; não é a torcida.

Porém, não esqueça da recomendação feita
anteriormente: na arbitragem moderna, os árbitros
deverão resolver conflitos, resolver problemas. Para isso,
devem utilizar as suas habilidades pessoais na solução
de tais conflitos. Nem sempre a falta técnica é a
solução.

Portanto, a equipe de arbitragem deve evitar criar
problemas. Uma boa concentração poderá favorecer no
julgamento de uma jogada. Nas situações mais difíceis
é indispensável manter o controle emocional. O
equilíbrio emocional demonstrará serenidade para todos.

Nem sempre uma técnica é a melhor solução. Um bom
árbitro deve explorar as suas habilidades de
comunicação para aplicar corretamente as Regras. O
respeito deve ser obtido pela firmeza e coerência nas
decisões tomadas. E não pelo medo de tomar uma falta
técnica.

As habilidades de comunicação são fundamentais na
aplicação da arbitragem preventiva. A expressão
corporal é fundamental. A arbitragem também é uma
arte. O saber falar e o saber ouvir são duas habilidades
essenciais para obter uma boa arbitragem.

O comportamento indisciplinar do Técnico, ou do seu
Assistente, deve ser penalizado. Reclamações constantes
e gestos que prejudiquem o desenvolvimento da partida devem
ser punidos prontamente.

A indisciplina dos Acompanhantes de Equipe deve ser
penalizada mais energicamente.

7    A Regra dos 3 segundos será aplicada

8    Área de Banco das Equipes

O respeito pela área de banco é um fator que deve ser
observado pelos árbitros. Os técnicos devem dirigir as
suas equipes dentro desta área.

A ida de membros da Comissão Técnica das equipes até a
Mesa de Controle deve ocorrer apenas nos momentos
necessários.

9    Falta no jogador que está no ato de arremesso

Preocupação em não anular uma cesta quando o jogador
estiver no ato de arremesso; principalmente, na bandeja.

Quando da penetração do atacante - drible e depois
bandeja - procure verificar se o contato provocado pelo
defensor realmente prejudica a ação de movimento do
atacante. O objetivo do atacante é fazer uma cesta e, se
possível, sofrer uma falta no ato de arremesso.

Faça a seguinte pergunta: o contato provocado pelo
defensor prejudicou a ação de movimento do atacante?

É preciso ficar muito atento nas hipóteses de cesta
anulada em virtude de uma falta cometida pela equipe
defensora. E observar atentamente se este contato faltoso
ocorreu realmente antes de iniciado o movimento em
direção à cesta, para não anular uma possível
cesta, ou conceder reposição de bola ao invés de
lances-livres.

Um contato que não prejudica a ação de movimento do
atacante não deve ser marcado como falta.

10    Faltas que ocorrem no final da partida

Preocupação com a intensidade do contato produzido pelo
jogador da equipe que está perdendo a partida;
principalmente, quando esta equipe utiliza a estratégia de
cometer diversas faltas para paralisar o cronômetro de
jogo.

Ter atenção nas faltas cometidas no final de uma
partida. É preciso saber reconhecer quando uma das equipes
está adotando a estratégia de cometer diversas faltas
para parar o cronômetro de jogo. Um contato não marcado
poderá gerar um contato mais ríspido e, às vezes, uma
agressão. O controle do jogo, em tais situações, exige
do árbitro uma transparência diante dos jogadores.
Transmitir aos jogadores que não é preciso fazer um
forte contato para caracterizar uma falta em tais
circunstâncias, poderá dar confiança aos defensores e
evitar situações adversas de ação e reação.
Neste momento da partida, a arbitragem preventiva deverá
ser utilizada.

Neste momento da partida, é comum ver nas reposições,
o defensor segurando fortemente o seu adversário que
está próximo do local da reposição.  À
evidência, o defensor, intencionalmente, escolheu um
atacante que possui baixo índice de acertos em
lances-livres. O árbitro deverá ter discernimento para
saber quando uma falta deixa de ser pessoal e passa a ser
antidesportiva em tais circunstâncias.

11    Duplo apito

Quando houver uma divergência de interpretação entre
os árbitros, eles deverão buscar uma decisão através
do consenso; respeitando, principalmente a área de
responsabilidade de cada um. Uma breve reunião entre os
árbitros deve ocorrer e uma única decisão deve
existir.

Esta mensagem foi verificada pelo E-mail Protegido Terra.
Scan engine: McAfee VirusScan / Atualizado em 21/03/2005 / Versão: 4.4.00 - 
Dat 4451
Proteja o seu e-mail Terra: http://mail.terra.com.br/

-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo não texto foi limpo...
Nome  : =?iso-8859-1?Q?Pontos_de_Ênfases_CBB_-_01_-2005.doc?Tipo  : application/msword
Tam   : 116736 bytes
Descr.: não disponível
Url   : http://listas.cev.org.br/pipermail/cevbasq/attachments/20050321/df9c0784/iso-8859-1QPontos_de_CAnfases_CBB_-_01_-2005.dot


Mais detalhes sobre a lista de discussão cevbasq

© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.