[cevbasq] Fw: MUDAR FACIL DE FALAR DIFICIL DE REALIZAR

Alcir Magalhães alcirmf em terra.com.br
Sexta Março 18 11:28:20 BRT 2005






AO 

CLIPPING DO BASQUETE 


Tenho ouvido constantemente as seguintes frases: o modelo atual de gestão da situação precisa mudar, que o basquete do país precisar mudar, que precisam ser efetuadas estruturais, organizacionais e técnicas  no basquete, que precisa-se mudar os atuais dirigentes da CBB, que precisa mudar e tornar o basquete do país mais profissional, que precisa mudar e trocar isto e aquilo etc.

Todos que acompanham o basquete, sabem que a mudança é inevitável para a saúde  do basquete brasileiro, entretanto  faço uma pergunta será que os que os presidentes das federações querem mesmo mudanças no basquete brasileiro ? 

Entretanto é fato que alguma coisa tem que ser feito dentro do basquete de forma profissional e estruturada,  entretanto sabem também que existe algumas palavras   que na minha concepção tem maior valor do que a palavra MUDAR simples e solta,  que são: QUEM , COMO E QUANDO, ai que mora o perigo, pq se efetuado de forma incorreta os resultados podem ser piores do que situação que ai esta, isto não quero que entendam que eu concorde com o modelo de gestão atual da CBB, até pq meu perfil é empreendedor e o existente na atual CBB é conservador, haja visto as ultimas atitudes da CBB, omissão total diante do momento critico que o basquete brasileiro atravessa muito bem ressaltado pelo José Trajano no programa de ontem do POR DENTRO DO BASQUETE DA ESPN / BRASIL.

Quem conhece um pouco administração e ou mesmo planejamento estratégico, sabe que mudança, não é uma coisa algo que se faça de forma emocional ou imbuído de um simples rompante momentâneo, sabe-se que requer tempo,  planejamento e quem vai gerir o processo de mudança precisa ter perfil para isto, não ter medo de correr riscos, isto é acadêmico esta escrito em qualquer livro de planejamento.

Cabe ressaltar que para se implantar a partir de hoje ou de maio qualquer mudança no  basquete brasileiro, não podemos de esquecer de alguns fatores importantes :  apoio a  criação de uma LIGA PROFISSIONAL DE BASQUETE no país deixando a CBB com as funções que são de sua responsabilidade como grande gestora do basquete brasileiro, mudanças estruturais e conjunturais na CBB e finalmente  um trabalho de endo-marketing na marca ou nome  basquete  brasileiro de forma que volte a ter credibilidade dentro do próprio país, não vejo como fugir disto.

Gostaria de alertar quanto alguns itens dentre muitos que considero importantes em qualquer processo de mudança, quais sejam : 

1 - Avaliação de Cenário;

2 - Mapeamento de Processos a fim de identificar o que deve ser mudado,como deve ser mudado e , quando deve ser mudado, ai falo de cronograma de planejamento e atividades um estratégico e outro operacional;

3 - Reflexo futuro que as mudanças poderão trazer em seus vários níveis;

4 - Quem vai gerir a mudança , se tem perfil, na minha visão o gestor de mudança precisa ter alguns itens latentes dentro do seu perfil, como:

4.1 - formação acadêmica adequada; 
4.2 - perfil gerencial, saber e ter experiência de gerenciar pessoas e processos de forma descentralizada ; 
4.3 - Ser um empreendedor nato e saber liderar pessoas obtendo o melhor delas para o processo de mudança e coordenar processos de mudança;
4.3 - experiência, conhecimento e vivência no negocio a ser mudado e o que quer para ele; 
4.4 - maturidade política para negociar os processos de mudança durante a própria mudança   com aqueles que receberão os impactos da mudança, mudança sempre foi, é, um fator de insegurança do desconhecido isto é cultural em nosso povo;
4.4 - Promover o envolvimento de todos no processo de mudança gestores de mudança e aqueles que receberão os impactos da mudança;
4.5 - capacidade de persuasão junto a todos envolvidos, conscientizando-os que  a mudança vem para melhorar e não para piorar, até pq em nosso país existe a cultura do deixa estar como estar, devido ao medo de mudanças, característica  dos administradores mais velhos e conservadores, que passam ainda pela síndrome da perda do poder ;
4.6 - conhecer planejamento em todos os seus  seguimentos ,
4.7- saber identificar as  pessoas que possuem  perfil adequado para trabalhar junto aos processos a cada um dos processos de mudança;
4.8 - ter um liderança, confiança e apoio daqueles que participam da mudança ,seja como agentes de mudança e ou aqueles receberão os impactos da mudança ;
4.9 - poder de convencimento junto a todos os envolvidos na mudança j, seja equipe e ou aqueles que a mudança atingirá, mostrando os seus pontos fortes em relação a situação atual e os benefícios que a mudança trará;
4.10 - Sensibilidade política;
4.11 - Capacidade de agregação de valores ao projeto de mudança;
4.12 - Capacidade de articulação em todos os âmbitos, estratégia administrativa, política etc   ;

Considero os itens anteriormente descritos,  como vitais para quem quer promover  e ou  gerir qualquer processo de mudança, entendo que sem eles fica difícil qualquer um alcançar os  resultados positivos tão esperados pelo basquete brasileiro.

Outro fator que não posso deixar de ressaltar, que o gestor deste processo de mudança se não tiver  paciência, determinação e  capacidade de superação para negociar com  os famosos lobos com peles de cordeiro, que não são poucos no basquete brasileiro, se expressam de uma forma empreendedora entretanto na pratica agem efetivamente de outra, de forma conservadora, certamente ficará no meio do caminho ou ira até o fim sem qualquer realizações.

O grande exemplo de tudo que digo aqui, veremos em maio com o resultado das  eleições.

De um lado a situação que ao meu ver por estar no poder a muito tempo poucas mudanças promoverá futuramente até pq esta dentro do processo a muito tempo e fica difícil vislumbrar o que muitas vezes é necessário mudar é o vicio administrativo.

Somente vejo uma possibilidade de mudança,  em se permanecendo a situação no comando da CBB, contratar uma empresa  especializada em planejamento com visão estratégica totalmente diferente da atual administração da CBB  para realizar o trabalho  necessário de forma que a administração do basquete brasileiro pela CBB passe a ser de gestão por resultados eu não crio que a administração tenha a experiência e o conhecimento adequado para implantar um projeto dessa envergadura.

Do outro lado temos uma oposição , compostas de profissionais sérios com experiência em planejamento, perfil gerencial adequado, com vontade de implementar mudanças e um espírito muito latente de empreendedorismo ou seja sem medo de arriscar a mudar o que não esta dando certo independente de qualquer coisa .



Diante desta convulsão esportiva por mudanças eu gostaria de perguntar a todos, até pq não tenho certeza disto  SERÁ QUE AQUELES QUE DEFINIRÃO O FUTURO DO BASQUETE BRASILEIRO, OS PRESIDENTES DAS FEDERAÇÕES QUEREM REALMENTE MUDANÇAS NO BASQUETE BRASILEIRO? esta resposta somente será dada ao publico do basquete brasileiro após o resultado das eleições de maio, tudo o que for dito até durante este período, por quem quer que seja,  somente terá validade  no momento que se conhecer o novo presidente da CBB , ou estou dizendo algo errado.

Esta é a minha opinião pessoal sobre tudo que venho assistindo dentro desta novela chamada BASQUETE E SEU DESTINO, o capitulo final esta sendo escrito pelos presidentes das federações vamos aguardar o ultimo capitulo que vai em dos dias do mês de maio.

Alcir Magalhães Filho.
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://listas.cev.org.br/pipermail/cevbasq/attachments/20050318/76d8a885/attachment.htm


Mais detalhes sobre a lista de discussão cevbasq

© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.