[cevbasq] Enquanto isso em SC 1 ...

henriqueporto henriqueporto em yahoo.com.br
Sexta Março 11 17:01:54 BRT 2005


Alcir e Amigos,

Segue o primeiro e-mail de uma discussão logo interrompida pela FCB
... Na sequencia encamirei os demais e-mail referentes a essa
discussão ... Este fui eu quem mandei!

Obs: A Federação Catarinense apóia o Grego!

---

Amigos basqueteiros,

Estamos próximos do início de mais um ano de competições no basquete
catarinense. Tendo em vista acontecimento do ano anterior, como o
baixo número de equipes adultas masculinas (12 nos JASC e 4 no
Estadual), WOs em quadrangulares finais, o fim (?) do basquetebol
feminino nos JASC, a não realização do campeonato adulto feminino e a
visível decadência do basquetebol em nosso Estado (apesar do
crescimento no nível técnico de nossos atletas), acho que este o
momento mais oportuno para discutirmos o nosso esporte.

De jeito que está não pode ficar, principalmente nas categorias de
base, onde estamos colocando em risco o processo educacional desses
jovens com uma massacrante maratona de jogos, que acaba gerando a
perda de muitos dias de aulas, por causa das longas viagens. Isso sem
contar as fases regionais e estaduais da OLESC, dos Joguinhos e dos
JASC, além de jogos da CBB e do Ministério do Esporte. Uma alternativa
viável seria marcar jogos pelo campeonato estadual apenas no sábado e
no domingo. Jogos no meio de semana, mesmo em cidades próximas, acabam
trazendo transtornos físicos e educacionais para esses jovens.

Outro grande problema são os custos da competição, o que acaba
afastando Clubes e diminuindo o interesse pelo esporte. Com a FESPORTE
isso não acontece pois os as competições são subsidiadas. Nossa
Federação é (constatadamente) uma das mais caras do Brasil e disputar
nosso Campeonato Estadual não sai por menos de R$6mil, independente da
categoria, desconsiderando-se salários e bolsas de estudos. Nas
categorias de base ainda existe a dificuldade de se encontrar
patrocínios, devido à baixa exposição na mídia e o conseqüente retorno
para o patrocinador (mas isso não é problema exclusivo do basquete).

Está na hora dos Clubes e profissionais da modalidade se unirem e
começar a discutir os rumos de nosso basquete. Não adianta cobrar a
FCB se nos dias de reunião não apresentamos propostas de mudanças.
Sabemos do autoritarismo e do amadorismo existente lá, mas uma hora
eles terão que ceder, pois é o futuro deles está em jogo também e só
aqueles que estão olhando para os próprios rabos não conseguem
enxergar isso.

Como jogar pedra em telhado de vidro é fácil, estou repassando a
seguir algumas propostas para dar uma nova dinâmica ao basquete
catarinense. Espero que ela inicie uma longa discussão e que culmine
em um acordo entre os Clubes e a Federação para o engrandecimento
do esporte.

Proposta 1 – Campeonatos por Pontos Corridos
As equipes disputariam turno e returno, sendo que a mais regular
ficaria com o título. Esta fórmula premiaria a melhor equipe durante
todo o decorrer da competição, sendo mais justa e menos onerosa para
os clubes, pois jogariam menos vezes, mas de forma mais objetiva.
Playoffs já existem nas competições da FESPORTE e o Campeonato
Estadual deve ser diferente, para gerar um interesse na sua disputa, o
que não acontece nos dias de hoje.

Proposta 2 – Criação de uma Divisão B
Existem cidades que mantém equipes semi-profissionais em atividade,
como é o caso de Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Balneário Camboriú,
Timbó, Concórdia e Chapecó. Seria interessante criar uma Divisão B no
basquete estadual, que manteria essas equipes em atividade, através da
realização de um campeonato com custos menores. Essas equipes teriam
tempo para se estruturar e ingressar na Divisão A quando considerarem
oportuno.

Proposta 3 – Fim da divisão Oeste/Litoral
Campeonatos Estaduais divididos em grupos nem sempre são uma boa
idéia. Se reduzem custos por um lado, reduzem o nível técnico de
outro. É importante haver um intercâmbio entre as equipes, até mesmo
para que novos valores possam surgir. Ano passado tivemos a exata
noção da disparidade entre o basquete dos dois extremos do Estado e
isso não é bom. Todos devem ter a chance de crescer, tanto dentro de
quadra como administrativamente.

Proposta 4 – Criação de uma Associação de Clubes
Infelizmente a política que ainda reina no basquete catarinense é a do
`cada um por si'. Os Clubes precisam entender que um depende do outro,
pois enquanto o outro existir o um também terá motivos para continuar
existindo. Ou seja, devemos montar um grupo homogêneo e forte, baseado
na política do `ganha-ganha'. Ganham os Clubes, ganha a Federação,
ganham os atletas, ganham os patrocinadores e ganha o basquete. O
basquete tem que ser forte fora da quadra para depois se fortalecer
dentro dela.

Bom, no momento são essas as sugestões. Apesar de tudo, as
perspectivas para o basquete catarinense em 2005 são boas. Joinville
deve fazer uma campanha razoável na Liga, o esporte voltou para a
televisão (TV COM), Michelle Spliter e Thais Viana reabriam as portas
da Seleção Brasileira para os talentos da terra, ...

Antes de terminar gostaria de deixar bem claro que essas idéias e
sugestões são minhas e não necessariamente condizem com o pensamento
da Associação Jaraguaense de Basquetebol, entidade da qual sou
Vice-Presidente.

Bom, o assunto está lançado ... Aguardo as opiniões!

Atenciosamente,

HENRIQUE SUDATTI PORTO
Jaraguá do Sul/SC
(47) 9991-0818
http://www.henriqueporto.myflog.com.br

"Comece fazendo o necessário, depois o possível
 e de repente você estará fazendo o impossível!"
(São Francisco de Assis)






Mais detalhes sobre a lista de discussão cevbasq

© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.