Fw: Evolução histórica do basquetebol brasileiro (Introdução)

To: "CEVBASQUETE" <cevbasq-l@xxxxxxxxxxxxxxxxxx>
Subject: Fw: Evolução histórica do basquetebol brasileiro (Introdução)
From: Alcir Magalhães Filho <alcirmf@xxxxxxxxxxxx>
Date: Wed, 14 Aug 2002 19:30:39 -0300
| 0
| 0
| 0
|======= WORKSHOP
| wwwwww
wwwww
wwww
www
>
> Esta é uma introdução sobre a Evolução do Basquete Brasileiro , somente
> adocei a boca , os demais artigos sobre o assunto , consultar o site do
> Prof.Medalha no icone E-BOOK.
> Atenciosamente,
>
> Alcir Magalhães Filho
>
>
>
>
> Evolução histórica do basquetebol brasileiro (Introdução)
> Esta publicação foi adaptada da minha tese de livre-docência
> defendida em 1991 na Universidade de São Paulo sob o título: A
> evolução histórica do basquetebol masculino no Brasil: um estudo com
> base nos resultados da seleção brasileira: 1923-1990.
> Estarei colocando nesta pagina, todos os sábados um capítulo desta
> obra ainda inédita, com o objetivo de divulgar o nosso esporte
>
> Jose Medalha- editor
>
> CAPÍTULO I
>
> I N T R O D U Ç Ã O
>
> Atualmente, o basquetebol é um dos esportes coletivos mais praticados
> em todo o mundo. Trata-se de uma modalidade esportiva integrante do
> programa dos Jogos Olímpicos desde 1936, sediados na Alemanha. A
> popularidade do basquetebol é reconhecida numa grande maioria de
> países, principalmente no Brasil.
> Desde 1932, esse esporte é dirigido sob a organização da FIBA -
> Federação Internacional de Basquetebol, entidade que congrega
> federações de mais de 190 países, com sede em Munique.
> A FIBA é o organismo internacional que dirige todos os eventos com
> seleções representativas dos seus filiados e disciplina o esporte em
> termos de regulamentos e condições para participação. Em cada país,
> registrado na FIBA, existe uma entidade diretamente vinculada à esse
> organismo internacional. No caso do Brasil, está filiada a
> Confederação Brasileira de Basketball (CBB), fundada em 1933, sob a
> denominação de Federação Brasileira de Basket Ball.
> O interesse que o esporte desperta é muito grande. Atualmente não se
> tem o número preciso de praticantes da modalidade. Admite-se que mais
> de 250 milhões de pessoas jogam basquetebol em todos os continentes.
> Em alguns países, como nos Estados Unidos da América, os campeonatos
> entre estudantes universitários e atletas profissionais se constituem
> em acontecimento do mais alto interesse, ocupando considerável
> parcela de espaço e tempo em jornais e emissoras de televisão. Os
> ginásios onde são realizados os jogos estão constantemente
> superlotados.
> O nível de profissionalismo do basquetebol norte-americano é
> considerado por toda a opinião pública mundial, nos dias atuais, como
> ponto máximo de excelência técnica e organizacional. A "National
> Basketball Association" (NBA), que controla e dirige os campeonatos
> nos Estados Unidos da América, congrega 29 equipes distribuídas nas
> suas principais cidades, movimentando uma soma fabulosa de dólares
> através de contratos milionários com atletas e técnicos, organizando
> campeonatos do mais alto nível técnico, com transmissão de seus
> principais jogos para diversos países de todos os continentes.
> No Brasil o esporte também goza de grande popularidade,
> principalmente entre jovens estudantes e associados de clubes
> esportivos. As seleções representativas do País, em competições
> internacionais, vêm obtendo, ao longo dos anos, vários títulos e
> posições de destaque entre os demais competidores.
> As seleções masculinas obtiveram, por duas vêzes, o título de campeãs
> mundiais em 1959 e 1963. Foi também o esporte coletivo que maior
> número de medalhas obteve para o Brasil em Jogos Olímpicos, com a
> conquista das medalhas de bronze nas Olimpíadas de 1948 em Londres,
> 1960 em Roma e 1964 em Tóquio. Vários títulos sul-americanos foram
> também conseguidos, sendo 15 vêzes campeão e 11 vêzes vice-campeão em
> 35 campeonatos.
> O Brasil foi o único país, além da representação dos Estados Unidos
> da América que obteve, por tres vêzes, o título de campeão dos Jogos
> Panamericanos. Em 1987, o Brasil sagrou-se campeão panamericano em
> Indianapolis, vencendo a seleção norte-americana em conquista que foi
> considerada uma verdadeira façanha histórica. Outro país campeão
> panamericano foi Porto Rico, em 1991 em Havana.
> Os americanos, que já se preocupavam com o fato das suas
> representações nacionais, formadas por universitários, estarem
> perdendo a hegemonia em alguns campeonatos internacionais, passaram a
> considerar a hipótese de ter profissionais da NBA em suas seleções. O
> resultado desfavorável de Indianapolis, com a vitória do Brasil, foi
> o marco inicial de alteração de politica nos EUA para que, cinco anos
> após, o mundo todo pudesse presenciar, nos Jogos Olímpicos de
> Barcelona (1992), a seleção dos sonhos ou "Dream Team" composta pelos
> mais famosos jogadores da NBA. Esse fato contribuiu, decisivamente,
> para divulgar o basquetebol em todos os espaços possíveis da mídia e
> ratificar a hegemonia norte-americana, com a conquista invicta da
> medalha de ouro.
> Embora o conteúdo deste livro restrinja-se ao basquetebol masculino,
> convém dar destaque aos resultados obtidos pelas seleções brasileiras
> femininas, ao longo dos anos. Vários títulos sul-americanos, dois pan-
> americanos, duas medalhas olímpicas (prata em Atlanta e bronze em
> Sydnei) e um título mundial (l994 na Austrália), colocam também, o
> basquetebol feminino em grande evidência no contexto internacional.
>
> Criação do Basquetebol
>
> O basquetebol foi criado em dezembro de 1891 em Springfield, Estado
> de Massachussets nos Estados Unidos da América. O inventor do jogo
> foi James Naismith, professor de educação física, também formado em
> teologia, e instrutor de um grupo de futuros secretários da
> Associação Cristã de Moços daquela localidade. O jogo foi introduzido
> por Naismith, pela primeira vez, para um total de 18 pessoas.
> Um panfleto publicado e distribuído pelo "NAISMITH MEMORIAL
> BASKETBALL HALL OF FAME CORPORATION" (museu do basquetebol em memória
> do seu fundador), também localizado em Springfield, forneceu
> pormenores a respeito da criação do basquetebol:
>
> "Em novembro de 1891, em Springfield, Massachussets, a temporada de
> futebol americano havia terminado e o clima frio de New England
> forçava aqueles dedicados alunos da escola Cristã de Trabalhadores
> (atualmente Springfield College) a encerrar as atividades da
> temporada de futebol americano e se exercitarem dentro do ginásio.
> Deveriam praticar diariamente, em um ginásio de 18 x 12 metros, uma
> hora de atividade física das mais variadas maneiras (levantamento de
> pesos, marchas, cambalhotas, etc.). Essa classe era constituída de
> futuros secretários gerais de ACMs que não tinham motivação alguma
> para esse tipo de atividade.
> Eles protestaram e conseguiram um novo instrutor que não os
> satisfizeram. Em mais duas semanas seguiram-se novos protestos. Em
> consequência, o Dr. Gulick, chefe do Departamento de Educação Física,
> convidou James Naismith para o emprego. Naismith era oriundo da
> McGill University, com seis anos de experiência no ensino do futebol
> e da ginástica. Acreditava que ensinar era a melhor maneira de
> influenciar positivamente a juventude ao invés de fazer-lhe sermões,
> especialmente quando o indivíduo se dedica ao esporte colocando o seu
> lado afetivo.
> Naismith e Amos Alonso Stagg haviam chegado a Springfield na mesma
> época, imbuídos do mesmo ideal. Em seu segundo ano, eram responsáveis
> pelo ensino naquela instituição, além de acumularem outras
> responsabilidades de promoção junto ao corpo docente.
> Naismith tinha pela frente uma turma de alunos toda desarticulada,
> com uma tarefa muito difícil, tendo por aproximadamente duas semanas
> travado uma árdua batalha para manter o grupo feliz.
> Ao final do período de experiências, com ajuda e suporte do Dr.
> Gulick, Naismith concluiu que o necessário seria uma jogo recreativo,
> suficientemente simples de tal forma que qualquer um pudesse dele
> participar, sendo ao mesmo tempo dotado de características
> científicas para desafiar os melhores. Deveria, ainda, ser
> interessante e competitivo que pudesse satisfazer a todos,
> apresentando em conseqüência um determinado nível de segurança a
> ponto de poder ser praticado em recintos fechados". (p. 01)
>
> Dessa maneira, ao final de dezembro de 1891, James Naismith inventou
> e trouxe, para sua turma de alunos da ACM, um jogo totalmente
> planejado, com 13 regras já escritas, que foram afixadas na entrada
> do ginásio. Naismith tinha como idéia o aproveitamento de caixas para
> servir como receptáculo de obtenção de pontos, dentro da
> característica competitiva do jogo. Entretanto, o zelador do local,
> não encontrando caixas disponíveis, ofereceu-lhe algumas velhas
> cestas usadas para colheita de pêssegos que guardava no porão do
> ginásio. Duas delas foram colocadas no alto das galerias existentes
> em cada extremidade do ginásio.
> A colocação da bola no cesto, como forma de obtenção de pontos,
> imediatamente provocou a denominação de basquetebol. Assim o novo
> jogo teve o nome de basquetebol com cesta afixada à altura de 3.05
> metros, que persiste até os dias atuais.
> O número de jogadores também foi determinado pelo tamanho da classe.
> A propósito, Naismith entendia que o jogo devesse ser adaptado para
> qualquer tamanho de área útil disponível e para qualquer número de
> alunos em uma turma de atividade física.
>
> O próprio Naismith estabeleceu, quando do planejamento do jogo, cinco
> princípios básicos para serem seguidos pelos praticantes, a saber:
>
> 1. O jogo deveria ser praticado com bola esférica e jogado com as
> mãos.
> 2. Não se poderia andar ou correr carregando a bola nas mãos.
> 3. O jogador poderia ocupar qualquer lugar na quadra e posicionar-se
> da maneira como melhor lhe conviesse no campo de jogo.
> 4. Não poderia ocorrer contato pessoal entre os jogadores.
> 5. O arremêsso deveria ser executado com suavidade e precisão, sem o
> emprego de força e dirigido para o alto.
>
> O conhecimento desses princípios deixa claro que o inventor do
> basquetebol tinha em mente diferenciar o novo jogo de maneira
> bastante significativa dos que até então existiam. A rigor, o rugby,
> o futebol americano e o próprio "football association" então
> conhecidos, eram esportes em que a força dos arremessos, a violência
> na obtenção da posse da bola e os alvos ou gols colocados
> horizontalmente eram características marcantes de identificação
> dessas modalidades, contrárias às do basquetebol.
> Com o estabelecimento das 13 primeiras regras, atendendo basicamente
> as características e princípios idealizados por Naismith, o novo jogo
> teve uma aceitação total e propagou-se rapidamente para todo o
> continente norte-americano.
> Quanto à expansão para outras partes do mundo, inicialmente a
> literatura registra que as tropas americanas, em combate na primeira
> guerra mundial, se incumbiram de divulgar o jogo para o continente
> europeu quando, em momentos de lazer, os soldados praticavam
> basquetebol como forma de recreação. (APPLIN, 1982)
> O primeiro jogo oficial de basquetebol foi realizado no dia 20 de
> janeiro de 1892, com nove jogadores de cada lado. Naquela
> oportunidade, James Naismith e Alonso Stagg jogaram em uma equipe de
> professores contra um time formado por alunos da ACM. Tal jogo foi
> realizado no ginásio do Springfield College.
> O basquetebol, como é conhecido hoje, evoluiu acentuadamente em
> relação à forma como o mesmo era disputado no seu início. As 13
> regras originais, elaboradas por James Naismith, sofreram alterações
> periódicas, sempre com o objetivo de adaptar-se à própria evolução
> dos diferentes aspectos do jogo.
>
> Introdução e os Primeiros Anos no Brasil
>
> Segundo SCHERMANN e FELIPPE FILHO (s/data), o basquetebol foi trazido
> para o Brasil em 1896, portanto, cinco anos após a sua invenção.
> Ainda segundo esses autores, o responsável direto pela introdução do
> esporte no Brasil foi o missionário norte-americano Augusto F. Shaw,
> que ministrava aulas no Colégio Mackenzie, em São Paulo.
>
> "Augusto Shaw regressara dos Estados Unidos entusiasmado com o rugby
> e o bola ao cesto e, encontrando apoio dos alunos Jose Sampaio, Mario
> Eppingause, Carlos da Silveira, Alicio de Carvalho, Belford Duarte,
> Roberto Shalders e outros, lançou os referidos desportos no colégio".
> (p. 01)
>
> Depreende-se que a introdução do basquetebol no Brasil não teve
> divulgação ampla. O próprio Colégio Mackenzie considerou tal fato de
> forma muito superficial. Uma publicação comemorativa do centenário
> daquela entidade apenas menciona o episódio sem qualquer citação
> adicional referente à importância do mesmo, com os seguintes
> dizeres: "1896- Foi no Machenzie que pela primeira vez se jogou bola-
> ao-cesto na América do Sul; foi introduzido pelo Professor Augusto
> Shaw." (MACKENZIE CENTENÁRIO, s/data, p. 31)
> Essa publicação apresenta, ainda, um artigo do Prof. Naim Cury de
> Mello e uma fotografia das primeiras equipes do colégio, com
> uniformes característicos de uma época muito próxima do início do
> século. Percebe-se uma preocupação no conteúdo do artigo em se
> confirmar o fato de que coube ao Mackenzie o privilégio de ter sido o
> local onde se jogou basquetebol pela primeira vez no Brasil.
> A escassa divulgação, no início da existência do basquetebol, pode
> ser confirmada por informação apresentada por SCHERMANN e FELIPPE
> FILHO (s/data). Esses autores revelam que o basquetebol não teve, a
> princípio, muita aceitação. Os próprios alunos do Colégio Mackenzie
> estavam muito mais entusiasmados com a prática do futebol, trazido ao
> Brasil quase na mesma época por Charles Miller.
>
> Um outro fato bastante interessante, sobre a aceitação desse esporte,
> é também revelado no artigo do Prof. Naim Cury de Mello, na
> publicação MACKENZIE CENTENÁRIO (s/data). Os primeiros praticantes da
> modalidade, do então Colégio Mackenzie, tiveram o entusiasmo inicial
> diminuído quando "tomaram conhecimento através de uma fotografia,
> inadvertidamente deixada em cima da mesa do Rev. Shaw, da existência
> de quadros femininos de bola-ao-cesto. Naturalmente, pensaram tratar-
> se de esporte para mulheres". (p. 273)
> Conforme já relatado, o desenvolvimento do basquetebol nos Estados
> Unidos da América ocorreu de maneira muito mais rápida, graças ao
> próprio interesse das Associações Cristãs de Moços existentes na
> época naquele país. Interessante observar que também coube à ACM,
> após a introdução do basquetebol no Brasil, o papel de contribuir na
> prática um pouco mais organizada do esporte. Vale registrar que um
> diretor da ACM do Rio de Janeiro, Henry J. Sims, é reverenciado pelos
> historiadores como um elemento muito interessado na difusão e
> propagação do novo esporte, ao lado do Professor Oscar Thompson da
> antiga Escola Normal da Praça em São Paulo. (ASSOCIAÇÃO CRISTÃ DE
> MOÇOS, s/data)
> Obviamente deduz-se que, pela própria participação das Associações
> Cristãs de Moços até então existentes em São Paulo e no Rio de
> Janeiro, apenas nestas duas cidades o basquetebol teve, no seu
> início, meios para ser divulgado e praticado, embora de forma muito
> restrita. Convém mencionar que, no princípio do século, as atividades
> esportivas em nosso País eram praticamente inexistentes. Referências
> históricas, a respeito do desenvolvimento da própria Educação Física
> brasileira, fornecem pouquíssimas informações sobre essa situação
> (RAMOS, 1982). As mesmas referências, portanto, revelam que, embora o
> mundo estivesse já no início do século com atenções voltadas para o
> esporte como elemento integrado de hábitos de vida e de lazer, no
> Brasil atividades esportivas ainda eram praticamente desconhecidas.
> Por outro lado, o basquetebol em particular, já havia alcançado um
> acentuado estágio de desenvolvimento nos Estados Unidos da América.
> Nos Jogos Olímpicos de Saint Louis, em 1904, o esporte foi praticado
> em caráter de demonstração. Tal fato pode ser interpretado como um
> parâmetro da difusão do próprio esporte o que, consequentemente,
> ainda não acontecia no Brasil. (FIBA, 1972)
>
> O basquetebol no Brasil, de forma organizada a ponto de ser
> considerado um esporte, somente foi praticado a partir de 1912, na
> cidade do Rio de Janeiro, graças ao grande interesse manifestado por
> Henry Sims, conforme já anteriormente mencionado. (DAIUTO, 1981)
> Essa prática organizada do basquetebol, foi desenvolvida na ACM do
> Rio de Janeiro em condições não favoráveis, em um ginásio de
> dimensões muito reduzidas, contando até com colunas no meio da quadra
> o que, evidentemente, deveria contribuir para que o jogo não fosse
> tão rápido. (SCHERMANN e FELIPPE FILHO, s/data)
> A primeira partida internacional, realizada no Brasil, ocorreu também
> por acaso em 1913. Dados disponíveis informam que, por ocasião da
> visita de uma equipe de futebol do Chile para realizar amistosos no
> Rio de Janeiro, houve um entendimento entre dirigentes para que tal
> jogo fosse realizado. A esse respeito, SCHERMANN e FELIPPE FILHO
> (s/data) narram que:
>
> "... quando da visita da seleção chilena de futebol, a convite do
> América F.C., seus integrantes, membros da ACM de Santiago, passaram
> a freqüentar o ginásio da Rua da Quitanda, acompanhados de dirigentes
> do América. Henry J. Sims convenceu Alfredo Koehler, fundador e
> dirigente do América, a introduzir no grêmio da Rua Campos Salles o
> basquetebol, e para animá-lo, arranjou um jogo contra os chilenos,
> oferecendo-lhe uma equipe da ACM que, com o uniforme do América,
> triunfou pelo curioso score de 5 x 4." ( p. 01)
>
> Esse período da história da Educação Física e do Esporte no Brasil,
> não registrava maior entusiasmo nas demais modalidades então
> conhecidas por parte da maioria da população. O País passava por um
> fase política de tentativa de consolidar a sua República. Os meios de
> comunicação eram obviamente escassos e precários. As modalidades
> esportivas, divulgadas e conhecidas, restringiam-se à competições de
> remo e esgrima, travessias de rios a nado e corridas pedestres, como
> as mais citadas pelos historiadores, ao lado do futebol que sempre se
> constituiu em esporte de maior aceitação popular. (PENNA MARINHO,
> 1952)
>
> No início da segunda década do século, a propagação do basquetebol
> mostrava-se um pouco mais acentuada, inclusive com maior interesse
> por parte dos clubes de futebol já fundados e em funcionamento na
> época.
> Assim sendo, os fatos mais marcantes no período inicial de 25 anos,
> no Brasil, podem ser enumerados da seguinte maneira:
>
> 1. As primeiras regras internacionais, traduzidas para o português,
> foram conhecidas em 1915, portanto, quase 20 anos após a introdução
> do jogo no País. Uma comissão, composta pelos esportistas Itagiba R.
> Novaes, D.F. Moutinho, Victor A. Augusto e Henry J. Sims, incumbiu-se
> de tal tarefa. SCHERMANN e FELIPPE FILHO (s/data), afirmam que a
> tradução das regras contribuiu também para que o basquetebol tivesse
> um extraordinário desenvolvimento para a época.
> 2. No Rio de Janeiro, após a realização de um campeonato não oficial
> com a participação de seis equipes, a Liga Metropolitana de Sports
> Athleticos, em atividade na época, resolveu adotar o basquetebol em
> 1916.
> 3. Apenas em 1919 foi realizado o primeiro campeonato oficial do Rio
> de Janeiro, sagrando-se campeã a representação do Clube de Regatas do
> Flamengo.
>
> O início da difusão do basquetebol no Brasil foi, sem dúvida, numa
> época onde poucos acontecimentos significativos foram registrados. O
> basquetebol, por ter sido introduzido em um estabelecimento de ensino
> dos mais tradicionais e por ter se desenvolvido nos ginásios ou
> quadras existentes nas ACMs até 1920, foi uma atividade elitizada
> desde o seu início, com pouco acesso da maioria da população.
> Esse foi o período, conforme já acentuado, em que houve a tentativa
> de consolidar o sistema político gerado pela implantação da República
> proclamada em 1889. Naquela época, ainda não se cogitava da
> possibilidade de participação de uma seleção nacional em confrontos
> com seleções de outros países, a exemplo do que ocorria já com o
> futebol (PENNA MARINHO, 1952). Sem intercâmbio e com as dificuldades
> de transportes de uma época de progresso muito reduzido, o
> basquetebol, bem como as demais atividades esportivas, eram vistas
> como totalmente supérfluas e com pequena influência no comportamento
> das pessoas em dedicar seus momentos ociosos ao lazer.
>
> (continua no próximo sábado, dia 10 de agosto)
>
> Jose Medalha
> josemedalha@xxxxxxx
>
>
>
> Esta mensagem foi verificada pelo E-mail Protegido Terra.
> Scan engine: VirusScan / Atualizado em 07/08/2002 / Versão: 1.3.4
> Proteja o seu e-mail Terra: http://www.emailprotegido.terra.com.br/
>
>
>
<Anterior em Tópico] Tópico Atual [Próximo em Tópico>
  • Fw: Evolução histórica do basquetebol brasileiro (Introdução), Alcir Magalhães Filho <=

© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.