[Cevbasq-L] Re: RES: [Cevmkt-L] Re: Continuando com ESTRANGEIROS...

Ricardo,
Agradeço sua participação considero muito importante passar sua experiência
para nós do basquete ,para mim o Volei é um grande referencial de
administração esportiva , haja visto os resultados,sucesso de publico nos
ginásios , vide num dos jogos do minas mais de 20.000 pessoas sem nenhum
tumulto , a midia sempre cobrindo e quem tem TV a cabo ,o Volei as
vezes vem sendo transmitido por mais de um canal , o que não acontece com
o basquete , quem viu o clássico carioca do basquete Flamengo x Vasco
ontem dava para ficar deprimido , ginásio vazio ,quadra pondo em risco a
integridade física dos atletas pq mais parecia uma pista de patinação no
gelo , enfim deprimente e o pior o jogo numa quinta feira as 18:00 hs e não
era feriado no Rio ,quem trabalha não teve a mínima chance de ver o jogo
nem no ginásio e nem pela televisão ,a não como eu que programei a
gravação.
Outra coisa que chamou a atenção foi a justificativa para o jogo ser no
maracanãzinho e naquele horário isto sem contar que o horário inicial era
na quarta 15:00hs, acho que o pessoal confunde segurança com policiamento
com fazer um jogo para ninguém ir , como vc vê existe uma mentalidade
totalmente administrativa entre os dirigentes dos dois esportes.
Outra coisa que tem chamado a atenção é o grande numero de estrangeiros que
chegam , estão bichados e pouco jogam , outro fator o problema que alguns
criam problemas e são mandados embora , até pq acho que o nível cultural
dos atletas estrangeiros do Volei que vem para o nosso país é melhor do
que no basquete, pelos fatos ocorridos mas quem poderá explicar isto melhor
será algum técnico que já trabalhou com estrangeiro no basquete.
No meu entender quando trazemos um estrangeiro é para fazer a diferença e
muito em relação aos que temos aqui e muitas vezes isto não acontece
,parece-me que é moda e da midia.
Vc foi brilhante e conclusivo quando disse q os atletas que vieram para
Volei agregaram valor ,no basquete ainda não vi nada disso escrito .
No basquete isto não acontece, pq para o nosso país não vem nenhum ídolo
internacional e os que vem pelo que sei quase não tem contato com as
categorias de base pq muitos clubes / empresas nem possuem essa categoria
usam um clube da cidade na sua maioria.
Quanto a discriminação talvez me expressei mal , o que eu quis dizer que
não é justo botar no banco um brasileiro em relação a um estrangeiro que
não faz tanta diferença assim , o que vejo é que não esta tendo um trabalho
de base forte com existe no e ai o jeito é importar ,vc a de concordar que
la fora quando buscam alguém é para fazer a diferença e cobram por isto ,do
contrario mandam embora .
Repetindo as suas palavras sua intromissão foi super oportuna , se é que
julga assim , eu julgo como uma participação importante para que tenhamos o
real conhecimento do pq uma coisa da certa num esporte e em outro não dá .
Obrigado pela sua participação.
Estou encaminhando esses seus esclarecimentos para as varias listas de
basquete como uma forma de troca de informações importantes para o esporte
no país .
.ALCIR
   

Ricardo Trade  

<Ricardo.Trade@o Para: "'cevmkt-l@xxxxxxxxxx'" 

ctagon.com> <cevmkt-l@xxxxxxxxxx> 

Enviado Por: cc:  

cevmkt-l-admin@c Assunto: RES: [Cevmkt-L] Re: 

ev.ucb.br Continuando com ESTRANGEIROS... 

   

   

11/05/2001 11:13  

Responder a   

cevmkt-l   

   

   

Prezado Alcir,
Falando de minha experiência no vôlei, trazer jogadores ou jogadoras
estrangeiras, como era feito no vôlei, sempre foi uma experiência
enriquedora para o esporte em questão. A primeira experiência pessoal foi a
Cecília Tait do Peru. (jogou conosco na Sadia) Analisamos seu comportamento
na seleção peruana, demos 2 ou 3 telefonemas para saber sua real condição
de
saúde e disciplinar e trouxemos uma excelente jogadora que enriqueceu nosso
esporte e abrilhantou o campeonato nacional (liga).
Depois, Natália Málaga, outras e outros jogadores de renome - eu acho que
ninguém faz contratações sem analisar a relação custo benefício. Algumas
vezes intermediários são necessários, principalmente na procura de
jogadores
do escalão médio. Mas cabe a uma comissão técnica interessada e atuante a
ver se será bom para a equipe ou não.
Quando de minha militânicia em equipes de alto nível (Transbrasil, Sadia e
Colgate - São Caetano), não tive nenhum conhecimento de interesses escusos
nas contratações.
Além disto, no aspecto de melhorar o nível do vôlei nacional, colocar
ídolos
internacionais para conviver com atletas em formação, podem, se bem
trabalhado, trazer resultados muito bons para o esporte.
Reserva de mercado, me parece uma atitude xenófoba, que não acrescenta em
nada para nosso esporte.
Da mesma forma que não queremos que nossos bons atletas sejam
discriminados
lá fora, não devemos discriminar os bons profissionais aqui.
Desculpe pela intromissão neste assunto (basquete é diferente de vôlei),
mas
aí já foi.
Atenciosamente,
Ricardo Trade - Bakalhau
-----Mensagem original-----
De: cevmkt-l-admin@xxxxxxxxxx [mailto:cevmkt-l-admin@xxxxxxxxxx]Em nome
de alcir.magalhaes@xxxxxxxxxxxxx
Enviada em: sexta-feira, 11 de maio de 2001 14:47
Para: Carlos Alex Martins Soares
Cc: cevbasq-l@xxxxxxxxxx; cevmkt-l@xxxxxxxxxx; basket@xxxxxxxxxx;
mpalmier@xxxxxxxxxxx; carlao05@xxxxxxxxxxx; viola@xxxxxxxxxx;
Josemedalha@xxxxxxx; claro@xxxxxxxxxx; helmar@xxxxxxxxxxxxx;
coachguerra@xxxxxxxxxx; jcarlos@xxxxxxxxxx; pcesar@xxxxxxxxxxxxx;
lucape@xxxxxxxxxxxxxx; walterroese@xxxxxxxxxxx; cclemente@xxxxxxxxxx;
familiaviola@xxxxxxxxxx; cmacedo@xxxxxxxxxx; carlos00macedo@xxxxxxxxx;
ricardonakai@xxxxxxxxxxxx; basquete@xxxxxxxxxxxxxx;
marcelinhoonline@xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx; hdru@xxxxxxxxxx;
rafael.magalhaes@xxxxxxxxxxxxx; heleno@xxxxxxxxxxx; bozikis@xxxxxxxxxx;
presidente@xxxxxxxxxx
Assunto: [Cevmkt-L] Re: Continuando com ESTRANGEIROS...
Carlos ,
Tenho escutado varias criticas sobre a vinda de estrangeiros para o nosso
país, sobre isto fiz uma pesquisa informal ,tenho escutado que na sua
maioria criam problemas dos mais variados e pouco agregam valores ao
aumento do nive tecnico do basquete no país , entendo que quem poderá
melhor avaliar são os treinadores , que lidam o dia a dia com eles e a
evolução tecnica do basquete do nosso país.
Realmente não posso fazer nenhum juizo de valores pq enquanto diretor de
esportes do Clube Vizinhança em Brasilia , não tive nenhum estrangeiro no
meu time, até pq por filosofia se fosse tão bons estariam na NBA e não
aqui.
Realmente o que escuto falar é que os clubes escolhem seus jogadores
atraves de agencias não sei bem se isto é valido e para trazer um cara
desses fica em torno de U$ 10.000 ,tambem não sei a veracidade das
informações ,questiono ,até que ponto esse processo de escolha é valido
onde envolvem milhões de interesses de parta a parte?
Será que indicam os melhores para o nosso país ou outros centrros ?
Minha sugestão é que a CBB coordenasse uma avaliação juntamente com
treinadores do país , não somente Rio e SP , para avaliarem durante esses
anos os pontos fracos e fortes desse processo de importação de jogadores
estrangeiros i ?
Avaliassem o lado social ,enquanto se emprega um estrangeiro , no minimo
um brasileiro perde o emprego e se isto afeta as categorias de Baixo?
Outro coisa que escutei foi que a imagem do mercado do nosso basquete lá
fora tinha ficado meio arranhada ,em virtude de alguns clubes terem
deixado de pagar aos atletas o que esta errado e não me cabe discutir aqui
os motivos que levaram a essa atitude ,cada um sabe onde o calo doi ,
gostaria de saber da veracidade dessa informação ?
Outro assunto que acho que deve ser ressaltado é o estudo da liga Argentina
,mostrando o fracasso da vinda de estrangeiros e seus impactos na evolução
tecnica do basquete argentino , contudo isto eles ainda estão na nossa
frente basta vermos as suas ultima classificações em torneios de base.
Gostaria que mais pessoas participassem com experiencia no assunto para
divulgá -las até para que novos dirigentes que queiram contratar
estrangeiros saibam como funcionam as coisas e nos unirmos para que o nosso
basquete cada vez mais cresça , pq não adianta deixar no banco um atleta
brasileiro para colocar um estrangeiro pq na seleção quem vai é o
brasileiro e certamente não terá o volume de jogo necessário e ai os
resultados são esses que conhecemos.
Diante disso tudo fica mais uma pergunta para o pessoal de marketing
esportivo ,como é que diante dessas interrrogações podemos convencer as
empresas a comprarem o produto Basquete?
ALCIR
"Carlos Alex
Martins Para:
<alcir.magalhaes@xxxxxxxxxxxxx>
Soares" cc:
<basket@xxxxxx Assunto: Continuando com
m.br> ESTRANGEIROS...
11/05/2001
01:44
Responder a
"Carlos Alex
Martins Soares"
Alcir, Prof. Medalha e demais membros da Cevbasq,
a questao e´ delicada e de extrema importancia para o nivel tecnico de
nosso
basquetebol. Digo isso por que tenho observado esta questao ha algum tempo
e
acredito que o basquetebol praticado no Brasil tem sido prejudicado nesta
historia. O que o nosso basquete precisa e´ de intercambio, jogos contra
outros paises e nao "mercenarios" que vem para ca fazer um caixa, visto que
nao obtiveram exito nas ligas de seus paises, principalmente os americanos.
Que o nivel tecnico deles e´ alto a gente sabe, mas nao contribui como
deveria no crescimento do basquetebol por aqui, apenas atrai espectadores e
nos, a reboque dos patrocinadores, continuamos vivendo do momento, do lucro
imediato. eles se vao, levam o dinheiro que serviria para a base e nos
ficamos com um clube a menos.
Alem dos estrangeiros as equipes deveriam se preocupar em manter times em
todas as categorias de base, isso e´ que desenvolver o basquete ou qualquer
outro desporto. Tracar um planejamento a medio-longo prazo e usar os
estrangeiros como chamariz no trabalho de base, para a gurizada aprender,
montando workshops com eles, mas voltados para os iniciantes. Fazem ao
contrario: paparicam/mimam os caras ao maximo. Vejam o caso do Vargas que
ficou sem receber dois meses e "chutou o balde". Onde esta o compromisso?
Ou
ele nao iria receber mesmo?
Existem estudos que mostram o fracasso que foi a aceitacao de estrangeiros
na Liga Argentina, acabando com o desporto que existia nas pequenas cidades
e levando o basquete aos grandes clubes, que poderiam manter tais salarios.
Alguns pequenos "entraram" na liga, mas sao coadjuvantes. A rivalidade
desportortiva qwue existia nas varias regioes foi para o espaco, logo a
formacao de base tambem. Eles ate culpam o fracasso internacional pela
falta
de identidade e brio do atleta argentino.
Fico na escuta...
Carlos Alex Martins Soares
Administrador CEVBASQ-L: mailto:basket@xxxxxxxxxx
Para lista mailto:cevbasq-l@xxxxxxxxxx
Modo de Usar: http://cev.ucb.br/listas/dicas.htm
Sair da lista: http://cev.ucb.br/mailman/listinfo/cevbasq-l
Pelotas-RS
----- Original Message -----
From: <alcir.magalhaes@xxxxxxxxxxxxx>
Sent: Thursday, May 10, 2001 2:41 PM
Prof.Merdalha ,
Estou divulgando sua opinião para pessoas ,cevbasq e CBB , para que todos
nós que queremos o sucesso do Basquete , tenhamos um conhecimento
equalizado de como hoje a comunidade que faz basquete nesse país , pensa em
relação a de estrangeiros para o país.
Concordo com vc quando diz que deva ser discutido pelos treinadores , no
sentido de verificarmos se neste periodo que tivemos jogadores
estrangeiros aqui , o q agregaram do ponto de vista tecnico ao basquete
Brasileiro ,do ponto de vista de midia creio que deve ter somado alguma
coisa , entretanto do ponto de vista social e mais um brasileiro
desempregado .
Todos esses pontos devem ser analisados e sob coordenação da CBB no meu
entender para que medidas efetivas sejam tomadas para o sucesso do
basquete no país.
ALCIR
-----------------------------------------------
Para: alcir.magalhaes@xxxxxxxxxxxxx
Amigo Alcir
Li atentamente a sua mensagem com a preocupação da vinda de estrangeiros ao
Brasil. E chegado o momento de discutirmos esse assunto, como tantos
outros.
Existem alguns aspectos que devem ser considerados, como a situação
economica, o
vinculo desses atletas (Visto-passagens-contratos)alem da contribuição que
os
mesmos possam efetivamente trazer.
A minha opinião é que essas coisas sejam realmente discutidas
principalmente
pelos treinadores. Caberia a algum orgão, ou a CBB promover esses
encontros para que posições mais claras fossem tomadas.
Um gde abraço
Medalha
_______________________________________________________
Cevmkt-L Adm: Georgios <hatzidakis@xxxxxxxxxx>
Modo de Usar: http://cev.ucb.br/listas/dicas.htm
Mensagens para a lista: Cevmkt-L@xxxxxxxxxx
Mensagens Anteriores: http://cev.ucb.br/pipermail/cevmkt-l/
Sair da lista: http://www.cev.org.br/listas/cevmkt/
_______________________________________________________
Cevmkt-L Adm: Georgios <hatzidakis@xxxxxxxxxx>
Modo de Usar: http://cev.ucb.br/listas/dicas.htm
Mensagens para a lista: Cevmkt-L@xxxxxxxxxx
Mensagens Anteriores: http://cev.ucb.br/pipermail/cevmkt-l/
Sair da lista: http://www.cev.org.br/listas/cevmkt/
<Anterior em Tópico] Tópico Atual [Próximo em Tópico>

© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.