[Cevbasq-L] Basquete Universitario

To: <cevbasq-l@xxxxxxxxxx>
Subject: [Cevbasq-L] Basquete Universitario
From: "Carlos Alex Martins Soares" <basket@xxxxxxxxxx>
Date: Wed, 2 May 2001 13:40:57 -0300
Alcir,
 
seja mais especifico quanto as informacoes referentes ao basquete universitario. Que informacoes tens? Quem passou? E, verdadeiramente, o que ha de real nessa historia?
 
Fico na escuta...
 
 
Carlos Alex Martins Soares
Administrador CEVBASQ-L: mailto:basket@xxxxxxxxxx
Para lista mailto:cevbasq-l@xxxxxxxxxx
Modo de Usar: http://cev.ucb.br/listas/dicas.htm
Sair da lista: http://cev.ucb.br/mailman/listinfo/cevbasq-l
Pelotas-RS
----- Original Message -----
From: Alcir
Sent: Tuesday, May 01, 2001 8:40 PM
Subject: [Cevbasq-L] Fw: Caixa muda patrocínio: sai basquete, entra atletismo

Conhecer texto enviado para o Sr.Grego presidente da CBB
----- Original Message -----

Sr.Grego ,
 
É com tristeza que leio esta noticia .
A cada dia perdemos mais apoio ,gostaria de saber os motivos que levaram tal decisão da CEF , não seriam os maus resultados do Basquete Nacional nas varias categorias ? como vimos pela televisão a clasificatoria dos juniores paara o mundial onde ficamos de fora?
Senhor Grego existe um grande movimento segundo soube através de pessoas serias , quanto a criação de uma liga universitária para o basquete , certamente terá apoio do Governo, em função do lado social da coisa , ou seja , preparando pessoas para o futuro,emprego ,cultura etc .
Tenho ouvido falar   que varias universidades já acenaram aprovando a ideia , em  participar desse evento e que fatalmente sairiam do Campeonato Nacional promovido pela CBB , neste caso o campeonato da CBB ficaria  somente com times patrocinadosdos por  empresas e clubes , sem o patrocinio das instituições de ensino.
Grego vejo que por um lado será  bom se isto acontecer , quem sabe as universidades formarão novos atletas e com isso chegarmos a um  nivel de DRAFT,como existe NBA.
Hoje o que existe são jovens que sonham em serem grandes atletas e viverem do basquete  e como todos nós sabemos no país em que vivemos somente um percentual muito pequeno tem tal condições, o que vc há de concordar comigo?
Durante estes anos os jovens  treinam nos clubes pensando em um dia  serem grandes atletas na maioria das vezes sem uma orientação adequada por parte dos dirigentes,alem de não terem condições de estudar ,muitos vivem de sonhos e param de estudar,  pq do contrário o emprego de atleta entra no   jogo da sobrevivência ,o que não acontecerá com o atleta universitário pq poderá jogar e estudar e se não der jogador , pelo menos terá uma formação para concorrer ao mercado de trabalho no mundo globalizado em que vivemos.
Tenho conversado com muitos atletas e dirigentes , e fico assustado ,pq a cobrança de resultados a cada dia são maiores em cima desses jovens que na sua maioria vem de classe baixa ,com o sonho que o esporte vai dar a ele e a familia uma qualidade de vida melhor e derrepente , por falta de resultados se veem sem clubes ,sem emprego ,sem amparo e ai ? o que não acontecerá se o atleta jogar somente por uma universidade pq até se formar terá cultura e orientação suficientes para decidirem quando ao caminho a seguirem.
Senhor  Grego ,tenho ficado  realmente surpreso em relação as respostas que tenho recebido dessa CBB as perguntas que faço e envio de pessoas que me pedem auxilio , segundo informações que tive muitas delas não respondidas por vc ,são por sua assessoria de imprensa,mais mesmo assim estão falando em seu nome e de uma instituição chamada CBB , que coordena o basquete do país .
Tenho pedido apoio para o Basquete de Brasilia ,em virtude da situação que se encontra ,a cada ano menos clubes participando nas varias categorias ,ligas piratas fazendo torneios com mais clubes que a Federação local,ligas que fazem campeonatos de base independentemente da Federação , pq não querem nem saber da Federação digo isto com conhecimento de causa ,pq tenho contato com varios .
Em uma de minhas consultas a  essa CBB , pedindo mais apoio ao basquete da capital do país ,a recebi uma resposta que tenho até vergonha de repetir ou seja entre outras palavras ,problema é de vcs , pq não intervenho regionalmente.
Concordo plenamente quanto a não intervenção regional até pq vivemos numa democracia , mais deveriam coordenar pq  o sucesso da CBB é o somatorio do sucesso das federações e sabemos que em um país de dimensões continentais ,a diferença cultural é grande ,dai o motivo dos mais evoluidos coordenarem aqueles menos evoluidos e lhes ensinarem como trabalhar para o melhor do basquete em nosso país e isso no meu entender quem tem que traçar é a CBB   mostrar claramente qual o seu negocio e onde querem chegar ,ou seja a sua MISSÃO.
Sr.Grego , este desabafo tem um unico objetivo fazer com que o basquete de nosso país seja um bloco forte e não fragmentado e se conseguirmos unir todos os segmentos educativos do país nesse trabalho certamente teremos um esporte forte no país , com renovação e resultados positivos e acabaremos com o mau existente que somente se pensa em esporte quando estamos perto de olimpiadas .
Estou a seu inteiro dispor para discutirmos esse assunto em que ambito for  e tomei a liberdade de enviar copia para essas pessoas para que avaliem se achar que estou errado é somente deletar e se acharem que podem acrescentar vamos todos juntos tentar a cada dia melhorar o nosso basquete que na minha opinião pessoal esta a cada dia decaindo,haja visto os problemas que tem acontecido nos ginasios nesse campeonato nacional.
 
Atenciosamente,
Alcir Magalhães Filho
 
 
Caixa muda patrocínio: sai basquete, entra atletismo
Fonte: JB Online

RIO - Após oito anos de parceria, a Caixa Econômica Federal cancelou o patrocínio à Confederação Brasileira de Basquete (CBB). Segundo o ministro do Esporte e Turismo, Carlos Melles, a Caixa preferiu trocar o basquete pelo atletismo.

O patrocínio da CEF à Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) é de R$ 1,5 milhão, R$ 500 mil a menos que o contrato de 2000 com a CBB, informou o presidente da Confederação Brasileira de Basquete, Gerasime Bosikis, o Grego.

A CBB, no entanto, não fica desamparada: a entidade conta com um apoio de R$ 4 milhões da SporTV e já procura por novas parcerias. Grego assegurou que a CBB tem recursos para manter o calendário do basquete até junho.



© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.