[cevavali] Sobrepeso em Cuiaba'. Cref. Seduc. Sedel.

Laercio Elias Pereira laercio em cev.org.br
Sábado Março 17 07:50:22 BRT 2007


psi - do Diário de Cuiaba - Laercio

SAÚDE CUIABANA

Mais de 60% dos "atletas" têm sobrepeso

ALECY ALVES
Da Reportagem

Uma pesquisa da Faculdade de Nutrição da UFMT concluiu que em Cuiabá
60,9% dos homens que malham em academias estão acima do peso. Desses,
43,5% apresentavam sobrepeso, ou seja, com mais de 25 de IMC (Índice
de Massa Corpórea) e os outros 17,4%, obesidade (mais de 30 de IMC).

Já entre as mulheres o resultado foi melhor. Conforme o estudo, 60,5%
estavam dentro do índice normal de IMC, variando entre 18,5% a 24,9%.
Desenvolvida pela nutricionista Gisele Addôr Lima Verde na conclusão
do curso de especialização em Nutrição Hospitalar, a pesquisa avaliou
o perfil nutricional de adultos freqüentadores de academias de
ginástica em Cuiabá.

A conclusão traz outros dados interessantes, entre os quais, que a
grande maioria dos homens entrevistados, 71%, confessou que não faz
dieta alimentar. Entre as mulheres, esse percentual ficou menor,
65,2%.

A nutricionista Gisele Lima Verde disse que a maioria dos
entrevistados, 47,8%, respondeu que estava fazendo exercícios físicos
cinco vezes por semana, mas há menos de um ano. E ainda, que 30,4%
foram levados às academias na tentativa de combinar saúde, estética e
perda de peso.

Os números gerais dessa pesquisa se assemelham aos índices do estudo
divulgado esta semana pelo Ministério da Saúde (MS), que apontou
Cuiabá como a capital com segundo maior índice de homens com
sobrepeso, 51%. Apenas os porto-alegrenses, com 54%, superaram os
cuiabanos.

Aos 67 anos, o médico Artur Bastos Jorge diz que malha por necessidade
e porque adquiriu o gosto pela pratica de exercício físico. Mas os
últimos três meses, desde as festas de fim de ano, ele diz que estava
longe das academias. Há dois dias, com sete quilos a mais que o
recomendável, Artur Jorge voltou a praticar de exercícios.

Quando pratica exercício físico regularmente, o médico disse que se
sente renovado, sua qualidade de vida dá um salto. "Costumo dizer que
o exercício é a cirurgia plástica do ego, me faz sentir um garotão",
completou ele.

Para o presidente do Conselho Regional de Educação Física (Cref-MT),
Manoel Germano de Campos Filho, a prática de atividades físicas está
perdendo espaço até mesmo nas escolas do ensino fundamental. De três
vezes por semana, como era habitual entre as crianças, caiu para uma
ou vez nas escolas pública.

No entendimento de Campos Filho, para ter adultos conscientes sobre a
importância e com gosto pela atividade física regular, seria
necessário estimular essa prática entre as crianças nas escolas.
"Devemos formar esse hábito na infância", reforçou ele.

Entretanto, conforme Campos Filho, ao contrário de outras disciplinas
na rede estadual de ensino, sequer há grupo de estudo para discutir,
planejar e orientar essa matéria. Ao contrário, estaria havendo uma
redução do número de professores de educação física. "Há escola com
mil alunos que tinha seis e agora está com apenas dois professores,
enfatizou o presidente do Cref-MT.

A secretária-adjunda de Políticas Educacionais da Secretaria Estadual
de Educação (Seduc), Marta Darsie, contesta as declarações de Campos
Filho. De acordo com a professora, este ano a Seduc formou um grupo de
estudo de educação física que já está em ação.

Segundo ela, em parceria com professores da Secretaria Estadual de
Esportes (Sedel), está sendo traçado o projeto do setor. Além disso,
está cobrindo todas as quadras esportivas das escolas para melhorar
para estimular e melhor a qualidade do ambiente onde as crianças
praticam esportes.

http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=280659

-- 
Laercio Elias Pereira
http://www.cev.org.br/grcev/laercio



Mais detalhes sobre a lista de discussão cevavali

© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.